Usuário:
 
  Senha:
 
 

Baitaca:
A evolução me entristece, de Baitaca

 

10/12/2008 14:22:51
A COBRA NOVA
............................................................................

 

Pois lá no Tupanci, quinto distrito do município de São Sepé, há uma tradição

de os contadores de causos esculachar com o causo dos outros. Sem querer

impressionar ninguém, mas pela experiência que tenho, naquelas bandas

existem as maiores, mais venenosas e mais extraordinárias cobras do Sul da

América. Eu, particularmente, estive entreverado em um fato com uma

cruzeira, que depois do "causo" passado cheguei até a pensar que não havia

visto a "tal" cobra. Mas o causo se passou à sombra dos Cinamomos da

casa do "Velho" Ênio Brum, gaúcho buenacho destes que não dá em

touceira e que pro causo foi quem puxou a frente. Lá estavam outros

"contadores", sempre rengueando da mesma pata. - Mas Sedir - falou o

Seu Ênio - esse tempo tá é pra cobra. Campo seco, não chove faz quatro

semanas e esses "alimales" se vem pro lado das casas. Outro dia, ali na

seringua do Banheiro, vinha cruzando uma cruzeira de quilina. Ela não

era muito comprida, mas no meio do corpo era dessa grossura – e fez

sinal com os dedos da mão de laçá. O que rolou de um para os outros

ouvidores foi pestana se erguendo; algum gavou o tamanho da cuja:

- Mas era uma tora de metro, desses de fogo de chão! E os outros foram

se ajeitando nos bancos, esperando pelo truco, pois esse não tardaria.

E não tardou. - Po-pois Ênio - tartamuteou o Sedir Martins - Tu-tú jááá

não viuuu por aí essa ta-tal de cobra noooova? Essa cooobra come dee

tuuudo e até outras cooobras também. Na seeeemana passada, beeem

ali na porteira da Maaamãe tinha uma dessas, enrooodilhada no mestre,

pançuuuuda. Pensei nuuuma franguinha da Dn. Luuuucinda que a Nova

tinha almoooçado. Virei o cabo do meeeu reeelho e meeeti os "feeerro".

Chegou a daaar um tiniiido no arame, da fooorça da pauuuulada. Daí eu

peguei ela e atiiiiirei por cima da ceeerca e ela juuuntou a caaabeça e a

cooola no últiiiimo fio de araaame. Mas o quuue me chamou a ateeenção

foi que eeeela começou a mooover aquela "bola" na baaarriga. Pensei

que ela ia devolver a fraaanga da maamãe, mas o quuue ela vooomitou

foooi uma cruuuzeira maaaior quessa tua! 

............................................................................
  Autor: Mauro Martins
Causo enviado Por: Mauro Martins - Foz do Iguaçu / PR
  Observações: De onde esse causo saiu há uma proliferação de contadores e criadores de estórias e histórias, que numa mateada de fim de tarde pode-se perfeitamente se mijar de dar risada. Mauro Martins

 
Nome:
Cidade:
Estado:
 
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document