Usuário:
 
  Senha:
 
 

Manoel Camaquã:
Hino Tradicionalista, de Barbosa Lessa

 

18/09/2010 21:11:39
ANITA GARIBALDI: A HEROÍNA DOS DOIS MUNDOS!
 
Anita Garibaldi: uma brasileira de fibra, valente, heroína!
............................................................................

ANO 79 - Nº 32 - Cachoeira do Sul - sábado, 04 de agosto de 2007
 
  DE BOTA & BOMBACHA  
Anita

Daniel Leite (daniel.gaucho@bol.com.br)

No dia 4 de agosto de 1849 morria em Mandriole, na Itália, Ana Maria de Jesus Ribeiro, mais conhecida como Anita Garibaldi, companheira do revolucionário Giuseppe Garibaldi, sendo conhecida como a "Heroí­na dos Dois Mundos".

Anita nasceu em 1821, na cidade de Laguna. Com cerca de 14 ou 15 anos casou-se com o sapateiro Manuel Duarte de Aguia. Três anos depois de seu casamento, ela conheceu o seu grande amor Giuseppe Garibaldi, ela com 18 e ele com 32 anos. Foi ele quem colocou em Ana o apelido de Anita. Ficaram juntos pelo resto da vida de Anita, que seguiu Garibaldi em seus combates em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Uruguai e Itália. O casal teve quatro filhos, o primeiro dos quais, chamado Domenico Menotti Garibaldi, nasceu no estado do Rio Grande do Sul, na então vila e atual cidade de Mostardas.

Na batalha de Curitibanos, no iní­cio de 1840, Anita, grávida, foi feita prisioneira, mas consegue fugir e atravessar a nado, com o cavalo, o rio Canoas, chegando ao Rio Grande do Sul, onde encontrou-se com Garibaldi em Vacaria.

Em 1841, já com Menotti nascido, o exército imperial cercou a casa. E Anita fugiu a cavalo com o recém-nascido, ficando no mato por quatro dias, até que Garibaldi a encontrou.

Acuado e com a causa farroupilha enfraquecendo, Garibaldi solicitou e obteve do general Bento Gonçalves a permissão para deixar o exército republicano rio-grandense. Anita, Giuseppe e Menotti transferiram-se para Montevidéu, onde permaneceram por sete anos. Em 1842 oficializaram sua união e tiveram três filhos uruguaios: Rosa - que morreu aos dois anos asfixiada, por causa de uma infecção na garganta -, Teresa e Ricciotti. Anita ainda participou da defesa de Montevidéu, sendo enfermeira durante a Guerra Grande, enfrentamento ocorrido no Uruguai entre 1839 e 1851, entre as facções blancos e colorados.

O casal resolveu se dividir; ela foi pra Nice na França, ficando com a mãe de Giuseppe, enquanto o marido ficou no Uruguai peleando. Giuseppe viajou para a Europa no ano seguinte. Foi para a Roma; e Anita foi ao encontro do seu esposo, pois agora ele comandava a resistência de Roma. Logo, com a tomada da cidade pelos franceses, o casal decidiu fugir. Anita estava grávida; e mesmo assim ela permaneceu ao lado de seu marido. Durante a fuga Anita ficou doente, de forma que nem conseguia andar. Então, no dia 4 de agosto de 1849, a grande heroína veio a falecer, estando grávida, no sexto mês de gestação, do quinto filho de Garibaldi. Alguns historiadores acreditam que ela tenha sido ví­tima de leucemia.

Cassado pelos austrí­acos, sem nem sequer poder acompanhar o sepultamento da esposa, Garibaldi saiu outra vez para o exílio. E nos dez anos em que esteve fora da Itália, os restos mortais de Anita foram exumados por sete vezes. Por vontade do marido, seu corpo foi transferido para Nice. Em 1932 seu corpo foi finalmente sepultado no monumento construí­do em sua homenagem, em Roma.


http://www.jornaldopovo.com.br
Todos os direitos reservados - Copyright 1999-2003, Jornal do Povo
Desenvolvido por Casa Interativa Soluções Digitais
............................................................................
Untitled Document