Usuário:
 
  Senha:
 
 

Leopoldo Rassier:
Pilchas, de Luiz Coronel e Airton Pimentel

 

13/12/2005 12:38:29
A PRESERVAÇÃO DA PILCHA GAÚCHA OFICIAL E DE HONRA DO RS!
 
Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Rio Grande do Sul:
Identidade Cultural dos Gaúchos Brasileiros!
............................................................................

O Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro, na efetivação de sua Filosofia de Atuação Cultural, há de assegurar a continuidade e a preservação da Identidade Cultural do Povo Gaúcho Sul-brasileiro e das antigas e autênticas Tradições Regionais dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Entretanto, no sistema MTG Brasileiro organizado é corriqueiro o desconhecimento das regras para o uso da Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Estado do Rio Grande do Sul e dos Gaúchos Brasileiros. O problema agrava-se ainda mais nas Academias de Danças independentes, aonde alguns professores induzem a seus formandos o uso de camisas com cores berrantes, fortes, como a vermelha, a verdão, a azulão, a preta e outras incompatíveis com a antiga Tradição Regional dos Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-brasileiro. Nesses ambientes mais comerciais que culturais são incentivados o uso dos lencitos pretos, estampados, escondidos, virados, folclóricos, exagerados, por fora da gola da camisa, triangulares, à meia espalda; dos coletes no estilo texano e das combinações entre as pilchas do peão e da prenda; dos vestidos excessivamente armados e com decotes incompatíveis com o tradicional recato das mulheres pampeanas do séc XIX, formadoras da Tradição do RS; e das indumentárias com estampas nas costas e cores de bandeiras, dentre outros despropósitos. Nos CTGs, por total falta de divulgação, também acontecem incoerências gaúchas sul-rio-grandenses e impropriedades tradicionalistas gaúchas brasileiras dessa natureza. Novos sócios passam a frequentar as Entidades Tradicionalistas sem receber as necessárias informações das Invernadas Culturais. Por falta de conhecimento, passam a deturpar a Pilcha Gaúcha Tradicional do Rio Grande do Sul e a induzir a erro outros sócios recém-chegados ao meio tradicionalista gaúcho. Camisas de mangas curtas e camisetas, em bailes e solenidades; calças justas, eslaques, com alças no cós e bolsos traseiros; botas brancas e curtas; cintas urbanas, rastras platinas e guaiacas porchetão freio de ouro; chapéus claros, chaparral, countries, copa alta, abas viradas; boinas coloridas importadas e não tradicionais do Rio Grande do Sul; peões com coberturas à cabeça, no interior dos salões e no ato de dançar; o uso de facas em bailes; uniformes de equipes campeiras em cores fortes, que não representam e não respeitam os históricos e tradicionais usos e costumes dos gaúchos sul-rio-grandenses, fundamentados na sobriedade e nas cores claras de suas indumentárias regionalista-tradicionaisOs modismos comerciais, especialmente os vendidos pelos artistas do mercado musical, certamente que influenciam em muito nessas deturpações verificadas no uso da Pilcha Gaúcha Brasileira. Jovens poderão, por exemplo, comprar um chapéu R. Oliver, desses que os artistas gaúchos das Bandas Nacionais são obrigados a divulgar; ou as indumentárias coloridas, as cintas, as botinhas, as calças estreitas que os mercados Mercosur-crioulista e Country-texa-sertanejo lhes impõem, sem qualquer representatividade na antiga Tradição Regional dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Naturalmente que fora dos ambientes do Tradicionalismo os seus filiados Tradicionalistas, como qualquer pessoa, podem comprar e usar tais peças. Mas no MTG Brasileiro o uso desses modismos comerciais é impróprio, por contrariar o Fim Cultural Tradicionalista de culto, zelo, preservação e correta divulgação da Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul. A vontade individual, no Tradicionalismo, deve dar lugar à História Regional, aos antigos usos e costumes regionalista-tradicionais sul-rio-grandenses, por uma questão de coerência regionalista-tradicional gaúcha sul-rio-grandense e propriedade tradicionalista gaúcha brasileira. Evidentemente que muitos artistas, atendendo aos próprios interesses e aos de suas gravadoras e grifes, estão a promover nas capas de seus trabalhos e nas suas apresentações públicas algo essencialmente comercial, rentável, mas que nada tem de Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense. À Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha - CBTG, seus respectivos MTGs e às suas Entidades Tradicionalistas Gaúchas filiadas cabe a urgente e necessária implementação das medidas educativas a todos os seus sócios e visitantes. Divulgar nos seus espaços virtuais da Internet, por exemplo, informações a respeito da maneira tradicional e correta de o peão e a prenda vestirem a Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Rio Grande do Sul (Lei 8.813/89) é o mínimo que se espera de quem tem o dever de educar, orientar, formar Cidadãos Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros. Omissões como as praticadas pelos diversos Órgãos e Entidades Tradicionalistas, ao não disponibilizarem fotos e dados informativos nos seus endereços eletrônicos, mostrando a forma adequada de prendas e peões gaúchos portarem a Pilcha Tradicionalista Gaúcha do MTG Brasileiro, só contribui para aumentar o desrespeito e os despropósitos cometidos contra o Tradicional Jeito Gaúcho de Vestir dos antigos habitantes do interior sul-rio-grandense. Esse descaso dos Órgãos Tradicionalistas no cumprimento das suas obrigações institucional-estatutárias, de cuidar e defender aquilo que é tradicional e, por definição, antigo, e que integra o grande Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul, de preservar a autenticidade da Tradição Regional dos Campeiros do Sul do Brasilnão pode mais prosperar. Estes são deveres tradicionalistas, não uma faculdade de quem jurou trabalhar em prol dos Fins Culturais do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Assim, espera-se que todos os responsáveis pela efetiva aplicação da Filosofia de Atuação Cultural do MTG do Brasil cumpram seus compromissos culturais, seus deveres institucionais, suas obrigações morais, pelo bem maior da continuidade e da preservação da Identidade Cultural Regionalista e das autênticas, antigas e regionais Tradições dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
17/03/2009 13:19:53 José Itajaú Oleques Teixeira - Água Claras-Taguatinga / DF - Brasil
Prezado Joel. O sítio Bombacha Larga agradece a tua honrosa visita e o comentário postado neste espaço cultural tradicionalista gaúcho. Para o teu conhecimento, informamos-te que o nosso posicionamento a respeito do tema encontra-se explicitado na Matéria publicada em 24.10.2005, com o título "Uma 'mesmice' e uma inverdade histórica", na qual ressaltamos que "respeitar a individualidade da indumentária e a espontaneidade dos Campeiros do Rio Grande do Sul é respeitar a autenticidade da Tradição do Povo Gaúcho Sul-brasileiro; a rica Cultura Regional Gaúcha do Sul do Brasil!". Quanto à foto, indicamos, igualmente, uma consulta ao comentário postado na Matéria "Um Fandango de fundamento em Joinville", publicada em 03.09.2006, aonde informamos que as fotos que compõem as matérias deste sítio não são e não pretendem ser somente as consideradas corretas, coerentes, apropriadas aos fins culturais do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, até porque isso, diante dos modismos que imperam, hoje, no meio tradicionalista gaúcho, dificilmente poderia vir a ser realizado. Entendemos que uma foto incoerente, incorreta, inapropriada ao fins de culto, zelo, defesa, preservação e adequada divulgação da autêntica e antiga Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul vale mais do que mil palavras, pois ela informa, aponta e revela os contrastes, os conflitos, as impropriedades regionalista-tradicionais ocorridas frente as Diretrizes Culturais Tradicionalistas do MTG Brasileiro organizado. Além disso, ao contrário do entendimento desse Vivente, acreditamos - e continuaremos a acreditar - que adianta, sim, falarmos de indumentária gaúcha típica, tradicional, oficial e de honra do Rio Grande do Sul; e para isso contribuem, para uma maior e melhor conscientização dos Gaúchos e dos Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros, todas as inúmeras fotografias já publicadas e a serem futuramente postadas neste sítio tradicionalista gaúcho, pois esta é uma forma extremamente eficaz para uma real reflexão de todos: Sul-rio-grandenses, Brasileiros, Gaúchos e Tradicionalistas Gaúchos do Brasil! Um quebracostelas cinchado a esse prezado colaborador do sítio Bombacha Larga: na luta pela preservação das autênticas Tradições dos Gaúchos Sul-brasileiros!
Sítio: http://www.bombachalarga.org
17/03/2009 11:05:47 Joel Machado - Mvd / Uruguai
Che, não adianta falar de indumentária se na própria foto de postagem temos um grupo de danças com as roupas iguais. Onde foi parar a invidualidade de cada pessoa, foram todos ao mesmo alfaiate ou costureira? Para refletir. Abrazo
Sítio: http://joelfmachado.blogspot.com
06/01/2007 23:51:18 Cláudio Braga - Montenegro / RS - Brasil
Parabéns pelo conteúdo e posicionamento no sentido de alertar para as impropriedades que podemos verificar nos eventos culturais gaúchos, no que se refere à pilcha. Creio que seria um bom início o MTG elaborar um projeto para ser desenvolvido em conjunto com Secretarias de Educação (estado/municípios) e direções de escolas (particulares), com o objetivo de passar essas informações paras as crianças do ensino fundamental, tal como ocorre com projetos de cunho ecológico, educação para o trânsito, conscientização sobre os malefícios do consumo de drogas, etc.
Sítio: *****
Listados 3 Comentários!
Untitled Document