Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Garotos de Ouro:
Portal do Pampa, de Airton Cabral e Adilson Carvalho

 

30/12/2005 12:15:24
TRADIÇÃO REGIONAL DO RIO GRANDE: CONHECER PARA PRESERVAR!
 
Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do RS:
Identidade Cultural Regionalista-tradicional
dos Gaúchos Brasileiros!
............................................................................

O direito ao livre arbítrio é sagrado a qualquer cidadão, enquanto indivíduo. No entanto, ao participar de entidades sociais, políticas ou outras o Homem está sujeito às regras próprias de cada um desses diversos segmentos da sociedade organizada. No Tradicionalismo não é diferente. Ao adentrar um Centro de Tradições Gaúchas, por exemplo, o visitante deverá respeitar as normas do sistema Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado. E caso venha a usar a típica e tradicional indumentária herdada dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-rio-grandense, a Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Estado do Rio Grande do Sul, antes deverá obter o mínimo de informação cultural. Dessa forma, evitadas podem ser as práticas das incoerências regionalista-tradicionais e das impropriedades tradicionalistas, muitas delas consideradas graves na medida em que afrontam a História, o Folclore e os usos e costumes tradicionais do Povo Gaúcho Sul-brasileiro. E embora seja aquele procedimento o ideal, constata-se que há enormes dificuldades de o mesmo, na prática, ser concretizado. A causa é, sabidamente, a falta de conhecimento aliada ao interesse comercial e politiqueiro, representados principalmente pelos modismos lançados pelos mercados e as liberalidades eleitoreiras de seus financiados políticos. O resultado só poderia redundar nos contínuos desastres pelos quais vêm passando a Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-brasileira. Programas televisivos e radiofônicos, gravadoras, festivais, artistas, comerciantes, folcloristas, dirigentes de Sociedades Tradicionalistas, todos eles, por razões não culturais, aceitam as nocivas e patrocinadas imposições mercadistas e os indevidos propósitos eleitoreiros, em prejuízo da preservação e correta divulgação das antigas, regionais, campeiras, autênticas Tradições Recebidas dos Gaúchos Pampeanos do Sul do Brasil. Sabe-se que o poder econômico-financeiro, nos dias atuais, compra governos, manipula competições esportivas, corrompe determinadas ações da Justiça, isto é, interfere em tudo e em quase todos; e também dizima culturas regionais, com a conivência daqueles que deveriam, pelo cargo que ocupam e pelos compromissos institucionais e morais que assumiram, protegê-las, defendê-las, retransmiti-las, preservá-las, divulgá-las, de forma correta, adequada. Com efeito, esses que se corrompem estão a se locupletar, e certamente de forma vultuosa. Porém, faltar-lhes-á, sempre, a razão. Seja por força da lógica, da ética ou da moral, fadados estarão tais Calaveiras do MTG Brasileiro e Picaretas da Tradição Regional do Rio Grande a conviver com o registro histórico dos seus deserviços e com as imputações pertinentes aos crimes culturais praticados, em nome dos seus mesquinhos interesses financeiros, comerciais, político-eleitoreiros. É certo que  quem porta lencitos estampados, virados; calças no lugar de bombachas e do vestido de prenda; cores pretas e fortes, vibrantes; cintas urbanas, guaiacas porchetão freio de ourorastras platinas; chapéus chaparral claros, countries; botinhas a meia canela, e outras peças estranhas à antiga, regional, campeira, verdadeira Pilcha Gaúcha Sul-rio-grandense, seja porque algumas delas são próprias dos gauchos platinos e não dos gaúchos sul-rio-grandenses, seja porque não correspondem aos antigos, autênticos e tradicionais usos e costumes dos gaúchos sul-brasileiros, por mera importação e criação mercadista, comete incoerências regionalista-tradicionais sul-rio-grandenses e impropriedades tradicionalistas gaúchas brasileiras graves. Se assim agem os que deveriam difundir, proporcionar e promover os necessários conhecimentos para a efetiva preservação da Cultura Regionalista-tradicional do Estado do Rio Grande do Sul, todos eles estão a praticar um grave crime de lesa-cultura regional gaúcha brasileira. O comércio, certamente, continuará a inovar e a lucrar com a venda de novos e ecléticos ritmos musicais, estilos e artigos argentinos, uruguaios e country-texa-sertanejos a muitos incautos,  em nome de uma falácia sem tamanho: a apregoada, criminosa e inverídica integração cultural, enquanto fusão de culturas regionalistas distintas, uma vez que no máximo o que poderiam pleitear seria o salutar instituto do intercâmbio de culturas. Contudo, mercado sempre haverá. Afinal, comprar e usar o que é ofertado é um direito de qualquer cidadão. Mas essa conivência dos senhores dirigentes dos diversos Órgãos e Entidades do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado com esse Assassinato Cultural, haverá de um dia ter fim. O Cidadão Tradicionalista Gaúcho Brasileiro começa a formar um necessário senso crítico e a despertar sua consciência no sentido de que o seu Patrimônio Sociológico-tradicional Gaúcho Sul-brasileiro - o qual, por definição, é antigo -, deve permanecer preservado para todos os seus reais proprietários: o Estado Sulino, os Sul-rio-grandenses, o Brasil e todo o Povo Brasileiro. Pois a Tradição, a História e o Folclore dos Gaúchos Sul-rio-grandenses devem ser preservados e defendidos pelos verdadeiros donos dessa Cultura Regionalista-tradicional Sul-brasileira. Assim, os politiqueiros e os pseudostradicionalistas, cujas ações e omissões criminosas estão a atender somente aos seus interesses privados, contrários à preservação desse Patrimônio Público constituído pela Identidade Cultural, o Folclore e a Tradição Regional do Rio Grande do Sul, não merecem o respeito de quem quer que seja, menos ainda daqueles que efetivamente cultuam, zelam, defendem, retransmitem, preservam e corretamente divulgam, para todo o mundo, as antigas, verdadeiras e regionais Tradições Oriundas dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
22/12/2005 13:50:41 Menegaz
Sabe-se que é impossível manter as coisas como elas devem ser, nem mesmo podemos nos isolar dos devastadores da cultura. Infelizmente, certas pessoas que não conhecem a cultura gaúcha, mas que gostam de bailes e rodeios, por exemplo, acabam denegrindo a imagem do povo gaúcho, por não saberem como se portar. Nos bailes, o maxixe, e nos rodeios os carros com som alto, tocando músicas que não tem nada a ver com o espírito do Rodeio Crioulo Gaúcho, que carrega tanta tradição. A culpa é dos próprios "organizadores mui tradicionalistas", que se vendem pelo dinheiro. E para esses "tradicionalistas", que o Patrão Velho Lá de Riba, que certamente é gaúcho, os perdoe por tais absurdos.
Sítio: *****
Listado 1 Comentário!
Untitled Document