Usuário:
 
  Senha:
 
 

Grupo Querência:
Chote Figurado

 

22/01/2006 17:33:36
PILCHA: O UNIFORME DOS GRUPOS MUSICAIS GAÚCHOS BRASILEIROS!
 
A tradicional sobriedade nas cores da Pilcha
dos Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-brasileiro!
............................................................................

Vendo os garçons de uma churrascaria vestirem seus uniformes para o trabalho diário - que é o de servir os clientes -, nunca os vi se queixarem de suas vestimentas. Afinal, o uniforme é o que os identifica perante a clientela e mostra o respeito pelo seu trabalho. Os músicos de qualquer conjunto gaúcho, desde os mais humildes, em começo de carreira, assim como os "medalhões", deveriam manter esse mesmo respeito. E pelo menos durante o tempo em que estão no palco animando um baile gaúcho deveriam estar devidamente "pilchados", em respeito à tradição gaúcha sul-rio-grandense e aos tradicionalistas e seus familiares, que compareceram ao baile e, efetivamente, pagaram os seus cachês. Quando digo "pilchados", eu quero dizer usar bombachas, e não qualquer calça por dentro das botas; quero dizer lenço de gaúcho sul-rio-grandensee não o que vemos muitos grupos usando: um lencinho tipo "cafetão carioca"; quero dizer guaiaca, e não cinturão argentino ou "rastra"; e, por favor, se não quiserem usar um chapéu "tapiado", bem gaúcho, com barbicacho de couro e não de metal, que não usem nada; é bem melhor que usar chapéus de modelo norte-americano ou chapéus de copa alta e aba caída, que esconde os olhos, pois o gaúcho do Rio Grande anda de testa à mostra, sempre confiante. Se os músicos que estão usando o nome da Tradição Gaúcha Brasileira não se sentirem gaúchos, que usem a "pilcha" como um uniforme de trabalho, respeitando o seu ganha-pão. E nada de ficar rebolando no palco ou ensaiando passinhos de pagode ou cantando músicas sertanejas ou de qualquer outro rítmo que não seja o da Tradição dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil. Lembrem-se que foram contratados para tocar e cantar músicas regionalistas gaúchas em um baile gaúcho; que os presentes querem dançar vaneras, bugios, chamamés, chotes, rancheiras, valsas e milongas. O Rio Grande do Sul é um poço de versos que não seca nunca. Emergidas da cabeça e do coração de nossos compositores nasceram músicas que são verdadeiras obras de amor à querência e ao pago sulino. Esses grupos não terão dificuldade alguma em escolher um repertório genuinamente gaúcho sul-brasileiro; não precisam buscar músicas em outros Estados ou em outros países, desrespeitando as nossas tradições. Respeitá-las é a chave! Muitos grupos precisam repensar suas ideologias. Afinal, são grupos gaúchos ou grupos sertanejos? Se não querem usar "pilcha", se não querem respeitar as tradições do Rio Grande do Sul, mudem o nome do grupo e não atrapalhem, não apunhalem pelas costas quem já lhe deu o pão; pois se muitos chegaram aonde estão foi usando a Tradição do Rio Grande e o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado. É chegada a hora de as Entidades Tradicionalistas, ao contratarem grupos para um Baile Gaúcho, exigirem que os músicos apresentem-se e atuem como legítimos representantes da Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense! (do colaborador do BL e Mangrulho do ONTGB na Região Sul do Brasil, Ademir Canabarro: um Missioneiro!)

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
22/01/2008 10:06:14 Laurindo Souza - Uruguaiana / RS - Brasil
Um abraço aos gaúchos tradicionalistas, leitores e curiosos que visitam esta página. Quero parabenizar esta vertente do puro gauchismo, do telurismo vivo. Vamos cerrar fileiras em cima do uso e do culto à nossa indumentária. Punição, sim, aos patrões que, inclusive, fazem pose da Patronagem de Calça-corrida. É um verdadeiro absurdo um sócio de C.T.G entrar na sua sede sem a pilcha. Isso é para um visitante de primeira vez, porque depois tem que ser estimulado para que seja usado o nosso traje típico e oficial. Sou a favor, sim, de uma Revolução... em defesa de nossos usos e costumes... uma Revolução pela Paz... Laurindo souza - Tradicionalista e Radialista.
Sítio: *****
23/01/2006 14:31:32 Sueli Berenguer
Mas isso é que é comentário, tchê!!! Ande vocês conseguiram um colunista de ponta, como este tal de Ademir Canabarro? Dessa forma o Bombacha Larga continuará mantendo o ótimo nível, no sentido de defender a Tradição Gaúcha do RS. Esse colunista falou toda a verdade que tem acontecido, nesses bailes por aí. Parabéns pela matéria e Parabéns ao Xiru Ademir Canabarro!
Sítio: *****
22/01/2006 19:52:50 Renato Moreira
Buenas, parceiros! - que fazem e acompanham o Bombacha Larga. Sou mais um missioneiro desgarrado, tropeando por Chapecó, São Paulo, Goiás, Brasília, onde estou arranchado. Com 40 anos de Rádio e uma história de Televisão - Globo Rural, que criei, ajudei a botar no ar, produzi, fui repórter, produtor, consultor...; Som Brasil (Ah, saudades do Rolando Boldrin); Pequenas Empresas Grandes Negócios; Terra Viva, sete anos na Bandeirantes...; tenho assistido, aterrorizado, a descaracterização da Música Gaúcha...; por falta de criatividade, de estudo, pesquisa, trabalho e respeito pela cultura, muitos 'grupos' gravam coisas que não apenas não têm nada a ver com Tradição Gaúcha, mas que são, também, rejeitadas pelos próprios gaúchos brasileiros...; veja-se a invasão do Breganejo, nas Rádios Gaúchas... Olhe, companheiros! Acho que o assunto merece uma reflexão profunda, por parte de todo o segmento cultural riograndense...; ouvir a população, discutir o que está faltando na música crioula; que interesses levam artistas a simplesmente gravar tanta coisa ruim, sem sentido, sem graça, sem arte, só prá fechar disco ruim... Não quero ofender ninguém - o problema não é apenas gaúcho, há descaracterização cultural também no antigo e bom sertanejo, no forró emocionante que se fazia há alguns anos...; no velho e bom samba (de roda, de terreiro, que virou uma gemedeira pegajosa, sem profundidade, sem alegria, sem emoção...). Cultura tem que ser preservada, tratada; pode ser modernizada, sofisticada, enriquecida..., mas não esculhambada, para fazer alguns troquinhos, pegar bailinhos...; melhor deixar de lado a configuração de 'música gaúcha tradicional' e, assim como o nefando 'breganejo', adotar logo, com clareza, sem enganação, a denomiação de 'bregaúcho', que, aí a gente nem perde tempo tentando ouvir o disco antes de comprar, buscando achar algo que encha a nossa alma de orgulho e de satisfação... Desculpe o desabafo...; fazem uns 15 anos que venho ouvindo, comprando disco, examinando, avaliando e buscando, nos Cds de um grande número de 'grupos e conjuntos', algo que possa ser classificado como 'cultura gaúcha sul-brasileira'... Renato Moreira - (61)9551-8202 - renatomoreira@canaldacidadania.com.br
Sítio: *****
Listados 3 Comentários!
Untitled Document