Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Farrapos:
Passo do Bugio

 

28/06/2006 09:33:03
BUGIO: VERDADEIRO HINO DOS GAÚCHOS BRASILEIROS!
 
Bugio: Ritmo Musical e Dança Tradicional
dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil!
............................................................................

Bugio - um ritmo musical gauchesco sul-brasileiro - é considerado um Hino dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul. Ele nasceu na gaita de 48 baixos de Neneca Gomes, nas Serras do Mato Grande, 5. Distrito de São Francisco de Assis-RS. Wenceslau da Silva Gomes, o Neneca, com a gaita de 8 baixos de seu pai Manuel Quirino Gomes, passou a imitar o ronco dos bugios com os baixos da cordeona. Em 1928, em homenagem aos três símios domésticos que possuia, já tocava o bugio na sua 48 baixos com a composição Os Três Bugios. Executava a música em três tons: Bugio, Bugiosinho e Bugia Velha. A sua primeira apresentação longe do município fora feita em Santiago, espalhando-se o novo ritmo por toda a região. Em 1950 os pesquisadores Paixão Côrtes e Barbosa Lessa encontraram a Dança do Bugio e sua música original, mas somente nas Missões, de Santo Ângelo a São Borja, especialmente em São Luiz Gonzaga, Bossoroca e Santiago. E o mestre gaiteiro Tio Bilia já o tocava no ano de 1936. Em 1955 os Irmãos Bertussi gravaram pela primeira vez o novo ritmo em disco, com o trabalho intilulado O Casamento da Doralícia. Assim, o Bugio foi se espalhando pelo Rio Grande, sendo consagrado em São Francisco de Paula, Caxias do Sul e Vacaria. Retratando a vida simples da campanha, tornou-se um Hino Gaúcho Sul-brasileiro, um valioso Patrimônio Musical de nosso Pago Sulino. Hoje, contudo, com o assédio diário dos mercados sem fronteiras e seus interesses comerciais junto ao Regionalismo Gaúcho do Rio Grande do Sul, por parte de culturas de outras plagas, até os Grupos Musicais oriundos da Serra Gaúcha não mais gravam o autêntico Bugio. E as Entidades Tradicionalistas do MTG Brasileiro preferem, por motivos mercadistas, levar as bandas não tradicionalistas para seus palcos, para tocarem suas Tchê Musics, em vez de cumprirem o seu Fim Cultural específico e valorizar esse ritmo musical eminentemente gaúcho sul-rio-grandense. Naturalmente que os produtos que as empresas e seus artistas meramente sul-rio-grandenses, mas não gaúchosvendem indevidamente no Tradicionalismo não integram a antiga e campeira Tradição Regional oriunda do Pampa do Rio Grande do Sul. Por esse motivo, portanto, tais criações modernistas e outros modismos comerciais jamais poderiam vir a ser ostentados e executados no Movimento Tradicionalista Gaúcho organizado, nos seus eventos tradicionalistas e nos seus Centros das Antigas Tradições dos Gaúchos Brasileiros. Aqui neste espaço cultural tradicionalista estamos fazendo a nossa parte, cultuando, zelando, preservando, retransmitindo e adequadamente divulgando, para o Brasil e o mundo, esse verdadeiro Hino dos Gaúchos do Brasil: o Bugio Regionalista-tradicional do Rio Grande do Sul! 

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
06/01/2010 12:57:17 andrelão - rio de janeura / RJ - Brasil
RONALDO!
Sítio: *****
29/06/2008 01:23:58 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Prezado visitante Mano. Tens toda a razão! Tradição Gaúcha é isso mesmo: culto, zelo, conservação, correta divulgação e retransmissão da preservada e antiga Cultura Regionalista-tradicional Sul-rio-grandense às novas e futuras gerações, tal como fora recebida dos antepassados gaúchos da região do Pampa Sul-brasileiro, sem deturpação, desnaturação, "integração comercial", invencionismo mercantil, importações, modismos urbanos, preferências pessoais... E atitude é, certamente, o que informas que o teu CTG faz: preservação daquilo que é verdadeiro e rejeição do que é falsidade, inovação, mera imposição dos conveniados mercados do MTG Brasileiro; do que conflita com a autenticidade regionalista local, o nativismo real, o terrúneo, daquilo que fora produzido, mantido e repassado, de geração em geração, pelos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Sul do Brasil. Cobrar ações práticas dos que têm o dever institucional-estatutário e a obrigação moral de cumprir o que prometeram quando, voluntariamente e sem outro fim que não o cultural, assumiram o compromisso de cultuar, defender, zelar, preservar e corretamente divulgar os usos e os costumes gaúchos antigos, tradicionais, do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul é, sem dúvida alguma, uma atitude a ser tomada por todos os Cidadãos e detentores do antigo Patrimônio Sociológico-tradicional do Rio Grande do Sul. E esse ato é, muitas vezes, infinitamente mais produtivo do que certas ações de criminosas, pactuadas e intere$$ada$ conivências. Exigir dos responsáveis pela preservação da antiga Tradição Regional do Estado Sulino - um Bem Público do RS, dos Sul-rio-grandenses, do Brasil e de todo o Povo Brasileiro -, a prática da Coerência Regionalista-tradicional Sul-rio-grandense e o efetivo cumprimento dos verdadeiros Fins Culturais do MTG Brasileiro - é, verdadeiramente, "botar o peito n'água" na defesa da autenticidade da antiga Tradição dos Gaúchos Brasileiros!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
28/06/2008 21:18:21 Mano - Florianópolis / SC - Brasil
Caro amigo José Itajaú, respeitosamente agradeço sua forte insistência na preservação do verdadeiro espírito tradicionalista gaúcho, preservação que por sinal tens meu total apoio, faço questão de levar a cada reunião de Patronagem em que nosso CTG organiza um pouco de esperânça, tal qual meu avô fazia diante de mei pai, transmitindo os verdadeiros conceitos tradicionais, isso sim é ser e ter tradição, olhar para os que está acontecendo e mesmo assim vestir a bombacha para defender os verdadeiros ideais. Existe um velho ditado que diz, "Vê quem tem visão, faz quem além de ver tem atitude", por tanto concluo dizendo que verdadeiro é todo aquele que não é de mentira e ser de verdade requer ATITUDE, botando o peito na água abrem-se diversas possibilidades, inclusive de ser mal interpretado, mas não será por isso que deixaremos de lutar, pois a tradição me ensinou que além de acreditar em ideais o mais importante é realiza-los, nem que para isso o final seja indesejado, ou até hoje seriamos a República Rio Grandense.
Sítio: http://parceirosdailha.vilabol.uol.com.br
28/06/2008 13:12:33 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Prezado Mano. O sítio Bombacha Larga agradece a tua honrosa visita e o comentário postado neste espaço cultural tradicionalista gaúcho brasileiro. Em resposta, informamos-te que tens toda a liberdade para sugerir mudanças e tecer críticas ao trabalho desenvolvido neste sítio. Entretanto, o mister deste espaço inclui tanto a valorização do adequado Tradicionalismo como também a crítica construtiva que aponta suas falhas institucionais, suas incoerências gauchescas sul-rio-grandenses e suas impropriedades tradicionalistas, frente aos interesses político-eleitorerios e lucrativos, seus e de seus conveniados mercados. Portanto, com a plena certeza de que não estamos perdendo tempo algum, continuaremos, doa a quem doer, apontanto, sim, determinadas Impropriedades Tradicionalistas, as quais atendem muito bem aos modismos dos mercados mas não aos Fins Culturais do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Tradição Gaúcha, por si só, inclui a preservação do que é antigo, regional, nativo, e repassado de pais para filhos, pelo tempo, de forma espontânea e abrangente pelo Povo Gaúcho Interiorano do Pampa Sul-rio-grandense, assim como a retransmissão desse antigo e campeiro Patrimônio Cultural às novas e futuras gerações; e não a deturpação imposta pelos interesses dos Exploradores da Cultura Gauchesca Sul-rio-grandense. Para quem é Tradicionalista há uma Carta de Princípios a ser observada e cumprida. Para quem é apenas "modista", que siga a política dos mercadistas, mas, por respeito a esse Bem Público pertencente ao Estado do Rio Grande do Sul, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro, que o faça fora do MTG Brasileiro organizado. Para quem é Tradicionalista Gaúcho Brasileiro outra Filosofia não há a seguir senão a do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Brasil, nela incluída a necessária preservação do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense - fundado na região do Pampa Sul-rio-grandense -, do antigo Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado Sulino - com seus usos e costumes gaúchos antigos, campeiros, regionais -, e da Filosofia do Tradicionalismo, decorrente da sua Carta de Princípios. Qualquer coisa fora disso é invenção, desvio institucional, picaretagem, modismo comercial, "integração cultural", incoerência regionalista-tradicional, impropriedade tradicionalista, exploração de um Bem Público, porquanto de todos, mas não Tradição - antiga, campeira - do Estado e do Povo do Rio Grande do Sul ou Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro! Saudações!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
28/06/2008 09:20:53 Mano - Florianópolis / SC - Brasil
Continuo parabenizando este sítio quanto ao valor histórico retratando a tradição, contudo a visão política é ultrapassada e deve rever conceitos, estamos em 2008 e hoje em dia existe quase tudo, mas com certeza ainda existem verdadeiros tradicionalistas, quem sabe ao invés de perder tempo criticando os que fazem tudo errado passemos a valorizar os que continuam acertando? Muita sorte.
Sítio: http://parceirosdailha.vilabol.uol.com.br
28/06/2008 00:28:33 Jornal O Gauchão " A Voz da tradição" - Joinville / SC - Brasil
Parabéns pela matéria do Bugio. Realmente, estão esquecendo a verdadeira música gaúcha, assim como tem muito Peão indo para Rodeio e bailes com lenços pequenos e floriados. O correto é 100 x 100, liso, branco ou vermelho. Também têm muitos qüeras por ai usando chapéu de caw-boy!
Sítio: *****
08/11/2007 10:29:55 Gilcindo Corrêa - Pato Branco / PR - Brasil
Parabéns pela matéria sobre o Bugio. Realmente é um ritmo que está caindo no esquecimento, assim como a gaita-ponto (instrumento que lhe deu origem). Vamos preservar esse cerne da música sulista. Um abraço.
Sítio: *****
26/07/2007 08:27:49 EDuardo Bittencourt - Brasília / DF - Brasil
Parabéns pela qualidade do site! Faz relembrar os bons tempos em que morei nessa querência, em Santa Maria !!!!
Sítio: *****
29/06/2006 07:58:33 Renê de Lima Costa - Alegrete / RS - Brasil
Parabéns à matéria; é excelente, tal qual as anteriores editadas, podendo, inclusive, ser tema de estudo para os Concursos de Prendas e/ou Peões, sendo uma maneira de forçar os CTGs a cultuarem realmente as nossas raízes!
Sítio: *****
28/06/2006 11:20:27 Canabarro - Navegantes / SC - Brasil
Na minha opnião, os Patrões de CTG que pisam na Tradição, contratando grupos de "Tchê Music" para tocar em bailes, não merecem apenas serem expulsos, mas, também, uma boa dose de "chá de casca de vaca"!
Sítio: *****
28/06/2006 10:30:55 Guimarães-CTG Raízes do Sul - Porto Alegre / RS - Brasil
Artigo muito bom, com pesquisa , bem no estilo de quem bem escreve nesse site. Já colocamos também no galpão virtual do nosso CTG:www.ctgraizesdosul.com.br.Ainda bem que tem pessoas que se preocupam com a verdadeira cultura tradicionalista.Parabens a todos.
Sítio: http://www.ctgraizesdosul.com.br
28/06/2006 10:23:19 Valdemar Engroff - Alvorada / RS - Brasil
Parabéns pelo comentário, que é um resgate cultural e parabéns pela crítica que o mesmo contém. Aqui na 1ª Região Tradicionalista do RS, sinto que depois da desfiliação do CCN Nova Raça de Canoas/RS, pelo MTG; punição ao CTG de Vacaria e a venda da Rádio Liberdade FM, o tradicional retomou o avanço rumo à preservação dos usos e costumes da nossa terra. A Rádio Liberdade antes da venda era a rádio dos maxixeiros. Agora, nas mãos da Rede Pampa de Comunicação, só toca a verdadeira e autêntica música do nosso pago. Baita abraço Valdemar Engroff Dir. Divulgação da 1ª Região Tradicionalista do RS
Sítio: http://www.valdemargauderio.ubbi.com.br
Listados 12 Comentários!
Untitled Document