Usuário:
 
  Senha:
 
 

Tchê Campeiro:
Direitos do Bugio

 

29/06/2006 01:07:40
O REGIONALISMO DE JOÃO SIMÕES LOPES NETO!
 
União Gaúcha João Simões Lopes Neto, de Pelotas-RS!
............................................................................

João Simões Lopes Neto é considerado o maior escritor regionalista do Rio Grande do Sul. Nasceu aos 9 de março de 1865, na Estância da Graça, a 29 Km da cidade de Pelotas, de propriedade de seu avô paterno João Simões Lopes Filho, o Visconde da Graça. Com 13 anos de idade foi para o Rio de Janeiro estudar. Como escritor, procurou valorizar a história e as tradições do gaúcho sul-rio-grandense. Em vida, publicou as obras Cancioneiro Guasca, em 1910, Contos Gauchescos, em 1912, e Lendas do Sul, em 1913. Suas obras pertencem, hoje, à literatura universal, com tradução para diversas línguas. E seu livro Lendas do Sul foi a primeira obra literária no idioma português a ser publicada na Internet pelo “Projeto Gutenberg”, um empreendimento sem fins lucrativos e empenhado em disseminar grandes clássicos da literatura gratuitamente (ou a preços nominais) ao grande público. O livro Casos de Romualdo teve origem nas publicações do Correio Mercantil, ocorridas dois anos antes da morte do escritor. A sua primeira edição foi lançada no ano de 1952, pela Editora Globo. Esses casos, entretanto, não foram totalmente inventados pelo autor, mas neles está toda a sua criatividade, mantida a essência dos relatos. Romualdo, portanto, existiu, em carne e osso. Chamava-se Romualdo de Abreu e Silva e pertencia a uma numerosa e ilustre família sul-rio-grandense, filho do coronel João Luiz de Abreu e Silva e de Antônia Carolina Ribeiro Lima, cuja ascendência remonta a Jerônimo de Ornelas, proprietário e povoador das terras onde nasceu a cidade de Porto Alegre. João Simões Lopes Neto ocupou a cadeira número 3 da Academia de Letras do Rio Grande do Sul, no ano de 1910. Para Flávio Loureiro Chaves, “os casos do Romualdo, cujo principal ingrediente é uma generosa dose de bom humor, convidam a ingressar no território do inusitado, do maravilhoso”. Fundador, aos 20 de setembro de 1899, da União Gaúcha de Pelotas, hoje a União Gaúcha João Simões Lopes Neto, o maior escritor regionalista do Rio Grande do Sul morreu aos 14 de junho de 1916, em Pelotas, aos 51 anos de vida!

 

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
12/03/2008 07:55:03 Juarez Mombelli - Florianóplis / SC - Brasil
Exatamente, amigo Carlos Zatti. Espero que você compreenda que um breve comentário neste espaço impede às vezes o aprofundamento. Mas gostei, sim, de Martin Fierro. Contudo, possuo a obra em CD, por isso não o li, mas gostaria, pois deverá oportunizar mais a compreensão. Obrigado!
Sítio: http://parceirosdailha.vilabol.uol.com.br
26/01/2008 19:30:24 silviohazt - bituruna / PR - Brasil
Olá, companheiros. Que bom que Os Mirins estão gravando novo cd; entrei em um novo orkut deles e vi o mestre Albino Manique tocando. Isso é muito bom, apesar de que Os Mirins não são os mesmos, depois da morte do Xico Castilhos.
Sítio: *****
30/06/2006 10:39:56 Carlos Zatti - Curitiba / PR - Brasil
Para quem disse: "quem lê 'Martín Fierro' (de José Hernández) vê o gaúcho por inteiro", certamente esqueceu dos detalhes e das particularidades que J. Simão Lopes N. nos informa sobre o gauchismo com suas minúcias, no dia-a-dia dos gaúchos de seu tempo. Se José Hernádez foi o verso, Simões Lopes foi a prosa falante da raíz gaúcha. CZ - Escritor paranista
Sítio: *****
Listados 3 Comentários!
Untitled Document