Usuário:
 
  Senha:
 
 

Leopoldo Rassier:
Pilchas, de Luiz Coronel e Airton Pimentel

 

29/08/2006 08:18:52
GUAIACA: O CINTURÃO TRADICIONAL DOS GAÚCHOS DO RIO GRANDE!
 
Guaiaca: o tradicional cinturão dos gaúchos campeiros do Sul do Brasil!
............................................................................

A Tradição Regional do Rio Grande do Sul, sabemos todos, é um Patrimônio Cultural que pertence não só ao Estado Sulino, mas aos sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro. Contudo, não foi só na Música Regionalista-tradicional que a Cultura Gaúcha Sul-rio-grandense sofreu as interferências dos mercados e as imposições tendenciosas de culturas alienígenas. O cinto largo do gaúcho, de couro, com coldre, aonde os antepassados gaúchos pampeanos do Rio Grande do Sul portavam suas armas de fogo, e bolsas para carregar o relógio, as moedas, as cédulas de dinheiro e outras utilidades, sempre foi, é e sempre será a tradicional Guaiaca Gaúcha Sul-rio-grandense. É esse o autêntico, regional, típico e tradicional cinturão dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil, originado de uma adaptação promovida pelos açorianos povoadores do território sul-rio-grandense. Porém, como outras peças da indumentária típica dos gaúchos brasileiros, também essa guaiaca veio a sofrer as ações daqueles que se interessam tão-somente pelo retorno financeiro dos mercados musical sem fronteirascrioulista-mercosurista, comercial-nativista, country-texa-sertanejo, tchesista-urbano e outros. Modificar o Jeito Gaúcho Sul-rio-grandense de Vestir, substituindo o que lhe é tradicional pelos produtos que comercializam, como cintas citadinas, fivelões, rastras platinas e seus florões, calças justas, pilchas pretas e de cores fortes, berrantes; coletes texanos, botas à meia canela, chapéus claros chaparral, de caubói, boinas coloridas importadas, lenços diminutos, virados, escondidos, folclóricos, exagerados, à meia espalda, por fora da gola da camisa, triangulares, pretos, estampados, é o que interessa aos Exploradores da Cultura Gaúcha Sul-rio-grandense. Começaram, inicialmente, retirando da tradicional guaiaca do Rio Grande o seu coldre. Com ele, por consequência, fizeram desaparecer um antigo uso dos gaúchos sul-rio-grandenses, aquele em que os campeiros sul-brasileiros, por uma questão de segurança pessoal, de eventual precisão, sempre levaram para suas recorridas de campo, as suas campereadas, o seu revólver à cintura. Depois, paulatinamente, passaram a retirar da guaiaca gaúcha sul-brasileira, uma a uma, as suas bolsas características. E uma guaiaca sem guaiacas, guaiaca é que não é mais! Em seguida, finalizando o intento, passaram a denominar simplesmente de cinto essa tradicional peça da Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Rio Grande do Sul. São os efeitos das ações dos poderosos mercados da Nova Ordem Mundial e de seus corrompidos atropelando a indefesa Cultura Regionalista-tradicional do Rio Grande do Sul. E tudo isso continuou e continua a acontecer com o apoio velado daqueles que deveriam agir como Palanques da Tradição dos Gaúchos Brasileiros. Se governantes devem honrar a Cultura Regional dos Gaúchos do Brasil, o Movimento Tradicionalista Gaúcho tem por um dever institucional-estatutário e uma obrigação moral e cultural preservar o antigo Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul, representado, dentre outros aspectos, pela vestimenta típica e tradicional oriunda dos antepassados interioranos do Pampa Sul-rio-grandense. Portanto, mesmo que determinadas e suspeitas previsões regulamentares venham a alterar o nome e as características dessa e de outras importantes peças da Pilcha Gaúcha Brasileira, a guaiaca continuará, pelo tempo, sendo repassada de pais para filhos, por Tradição do Rio Grandecomo o cinturão tradicional dos gaúchos sul-rio-grandenses. De couro macio, com coldre, o qual poderá servir, atualmente, para o transporte do aparelho celular do Vivente Tradicionalista Gaúcho, com bolsas para carregar o relógio, os pilas, a guaiaca dos Gaúchos Brasileiros continuará, sempre, pelo tempo e por meio dos inúmeros registros históricos, desmentindo a todos os que a desnaturam por interesses meramente econômico-financeiros, comerciais, mercadistas, pessoais. A literatura, os registros fotográficos e as guaiacas atuais continuarão revelando aos mercados e aos pseudostradicionalistas que essa corrupção é própria de quem é Assassino Econômico e Cultural. E que, em sendo assim, aqueles que comandam as ações voltadas para o culto, o zelo, o cultivo, a defesa, a preservação, a retransmissão e a correta, divulgação, para o mundo, das antigas Tradições Sul-rio-grandensesjamais devem - ou deveriam - corrompê-las pelos mesmos e referidos motivos, pois esse é um Patrimônio Cultural pertencente ao Estado do Rio Grande do Sul, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
22/10/2010 11:39:36 LUANA - SALGUEIRO / PE - Brasil
AMO OS SEUS POEMAS E A SUA HISTÓRIA. BJOSSSSSSSSSSSSSSSSS!
Sítio: *****
29/08/2008 21:41:50 wilson almeida alves - parobe / RS - Brasil
Pela primeira vez que entrei no site de vocês, adorei muito. Dancei vários anos em Grupo de Dança, com minha esposa. Ao ver este site e navegar nele parece que estou novamente cultivando as tradições. Um grande quebra-costela pra todos os Gaúchos de Tradição!
Sítio: *****
29/08/2008 09:30:37 antonio wilson cardoso farias - rio grande / RS - Brasil
Agradeço todos os dias por ainda ter pessoas que cultivam a tradição e parabenizo cada um que preparou esta matéria, pois muitos ainda têm vergonha de se dizer gaúcho; mesmo conhecendo a nossa história e sabendo que muitos morreram pela nossa liberdade. Que o Patrão Velho os abençõe! Forte abraço!
Sítio: *****
29/08/2007 10:27:07 MARCO ANTONIO POETA ALVES - SÃO JERÔNIMO / RS - Brasil
Parabéns, muito bom este site de vocês, gostei demais. Um forte quebra-costelas a todos. Marco Poeta
Sítio: *****
30/08/2006 11:35:33 Maria das Graças Amaro da Silveira - Brasília / DF - Brasil
Parabenizo pela matéria. Artigos desta natureza são sempre muito pertinentes, pois dão a oportunidade de esclarecer aos menos avisados, do que constitui o uso correto da indumentária gaúcha, para que modismos não venham descaracterizar a nossa verdadeira tradição.
Sítio: *****
Listados 5 Comentários!
Untitled Document