Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Monarcas:
Os de Bota e Bombacha, de João P. Leite,
Ben-Nir, Walther Morais

 

17/09/2006 05:01:10
PILCHA GAÚCHA: IDENTIDADE CULTURAL DO POVO SUL-BRASILEIRO!
 
A Pilcha Gaúcha típica e tradicional dos Gaúchos Brasileiros!
............................................................................

A indumentária tradicional dos gaúchos sul-rio-grandenses é, sem dúvida alguma, uma importante forma de divulgação e de identificação da Cultura Gaúcha Sul-brasileira. Com ela revela-se ao mundo o modo característico de vestir dos antepassados pampeanos do Sul do Brasil. Por isso é aconselhável que seu uso se dê conforme o modo campeiro de vestir dos antigos gaúchos do Pampa do Rio Grande do Sul. E é com base na sua simplicidade tradicional e nas diretrizes culturais do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro que poderão ser evitadas as descaracterizações, desfigurações e deturpações dessa Pilcha Gaúcha Sul-rio-grandense, frente aos modismos estimulados pelos interesses de mercado. E se essas alterações nocivas são indesejáveis, infelizmente elas ocorrem, desnaturando esse valioso Patrimônio Cultural Regionalista-tradicional dos Gaúchos Brasileiros: a típica e antiga, tradicional, Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Estado do Rio Grande do Sul. Assim, nada pode justificar, por exemplo, as bandeiras do Brasil e do Rio Grande do Sul estampadas nos braços de alguns gaúchos pilchados, nem os bottons em seus chapéus e descaracterizados coletes. Tão pouco as estampas com bandeiras ou cores correspondentes, na pilcha das prendas gaúchas. Essas são meras inutilidades, supérfluos artifícios, pois não será a presença de insígnias na pilcha de um sul-rio-grandense que o trasnformará em um gaúcho ou em um Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Essas criações podem interessar aos comerciantes sem fronteiras, que pretendem vestir sul-brasileiros e platinos com a mesma grife e identifica-los apenas pelas respectivas bandeiras em seus braços. Porém, nada disso se coaduna com o modo regionalista-tradicional de vestir dos Gaúchos do Rio Grande do Sul. Corretamente pilchado, desnecessários são os pinduricalhos e os complementos impostos pelas modas comerciais. É a indumentária tradicional do gaúcho brasileiro que revelará a origem da sua cultura regionalista-tradicional e a Identidade da sua Cultura Gaúcha Sul-brasileira. Além disso, bandeiras estão a limitar territorialmente um estado de espírito muito mais abrangente, pois gaúchos não são somente os nascidos no Estado do Rio Grande do Sul, mas todos aqueles que se identificam com a Tradição e o antigo modo de vida dos Campeiros do Pampa do Estado Garrão-sul do Brasil, independentemente dos locais de nascimento desses inúmeros gaúchos de coração. Atentar, por exemplo, para o uso das cores sóbrias e claras nas camisas; a largura das bombachas compatível com o significado do termo e com a história regionalista-tradicional da peça mais importante da Pilcha Gaúcha Masculina Sul-rio-grandense, e as cores, tamanhos e nós dos lenços de pescoço gaúchos e nativos do Estado é Fazer Tradição do Rio Grande do Sul, isto é, é repassar para as novas e futuras gerações, tal como o recebemos, o antigo Patrimônio Regionalista-tradicional pertencente ao Estado Sulino, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro. Esse acervo merece, sem duvida alguma, continuar culturalmente coerente diante da centenária e tradicional simplicidade dos habitantes do interior sul-rio-grandense. Para estes as cores pretas, por Tradição, sempre foram usadas apenas para externar o sentimento de luto, e as cores fortes, berrantes, não foram repassadas de pais para filhos, pelo tempo, por não serem próprias do uso dos antepassados interioranos do Pampa Sul-rio-grandense; o lenço de pescoço sempre foi usado nas cores regionais, em tamanho médio ou grande e atado com um dos nós usados no Rio Grande; a guaiaca sempre foi o cinturão com bolsas, de origem sul-rio-grandense, e não as guaiacas porchetão freio de ouro, as cintas urbanas e as rastras importadas do mercado country-mercosurista; a cobertura para a cabeça nunca foi a boina colorida, própria da Cataluña e de outras plagas, ou o bonéutilizados dentro dos ambientes cobertos, fechados; seus chapéus nunca foram os claros do estilo country, chaparral, texa-sertanejo; a bombacha sempre atendeu ao respectivo modelo regionalista, ou seja, sempre foi a calça larga, sem alças no cós e sem bolsos traseiros; e a mulher sempre vestiu-se conforme as gaúchas interioranas da campanha sulina, com o seu natural e feminino vestido. Assim, é com o uso correto da autêntica indumentária tradicional gaúcha sul-rio-grandense, sem os artificialismos das imposições comerciais, que a Cultura Regionalista-tradicional do Rio Grande do Sul deve ser revelada para o mundo. É com a Coerência Regionalista-tradicional Sul-rio-grandense e a Consciência Tradicionalista Gaúcha Brasileira, especialmente no uso correto da Pilcha Oficial e de Honra do Estado Sulino, que estar-se-á preservando, de forma efetiva e pelo tempo, a autêntica, a antiga, a campeira Tradição, e a Identidade Cultural Regionalista do animoso Povo Gaúcho do Sul do Brasil!

 

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
16/08/2008 12:39:30 Dorival Rodrigues e Silva - Pindamonhangaba / SP - Brasil
Parabéns! Gostei! Continuem assim!
Sítio: *****
21/09/2006 11:07:37 FELIPE HUPPES - ALECRIM / RS - Brasil
Com toda a certeza os modismos devem ser repudiados por aqueles que se consideram tradicionalistas de verdade. Eu faço isso e de certa forma acabo me sentindo excluído, em relação aos demais. É uma pena que os CTGs e até o MTG apóie esses modismos, em alguns de seus eventos. E afirmo isso com toda a certeza de quem ama e preserva a verdadeira tradição.
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document