Usuário:
 
  Senha:
 
 

Fogo de Chão:
Mulher Gaúcha

 

18/10/2006 06:03:08
O VESTIDO DE PRENDA E A BOMBACHA FEMININA!
 
Vestido de Prenda: a histórica e tradicional indumentária
da Mulher Tradicionalista Gaúcha Brasileira!
............................................................................

A Mulher Tradicionalista Gaúcha deve ter o compromisso cultural de cultuar, zelar, preservar, retransmitir e corretamente divulgar, para o mundo, a autêntica, a antiga Tradição Regional do Rio Grande do Sul. A indumentária tradicional da Prenda Gaúcha Brasileira, o Vestido de Prenda, por razões históricas e culturais, representa o antigo e tradicional modo de vestir das mulheres do interior pampeano do Rio Grande do Sul do séc. XIX. No passado, quando no desempenho de atribuições próprias dos homens, nas lidas campeiros, algumas delas, em número muito reduzido, podem até ter utilizado, esporadicamente, o traje masculino. Afinal, a bombacha, devido à liberdade de movimentos que proporciona, facilita em muito a realização de todas as atividades relacionadas ao campo. Mas essa não fora a regra, pois na maioria dos casos os serviços campeiros foram da incumbência de piazotes ou agregados. No entanto, nos dias atuais, em virtude de o vestido de prenda causar desconforto à mulher nas provas campeiras de rodeios e de se apresentar inconveniente a determinados cavalos, assustando-os pelo alvoroço que o vestido faz contra o vento, houve por bem o Tradicionalismo prever nos seus regulamentos o uso da bombacha feminina, pela Prenda Tradicionalista Gaúcha, a qual não se confunde com a atual calça justa utilizada no MTG. E por se tratar de uma peça essencialmente masculina, para a sua utilização devem ser observados certos limites normativos. Como estabelecem as Diretrizes do MTG/RS para o uso da Pilcha Gaúcha Sul-rio-grandense, a bombacha feminina não poderá ser usada nos Congressos e Convenções Tradicionalistas, nos Concursos de Prendas, na parte artística dos Concursos de Peões, nos Encontros Regionais e nas Visitas Oficiais. Porém, e estranhamente (!?!), poderão ser utilizadas - lisas, sem bordado e com abertura lateral - nas atividades de serviço, como torcida, e nas atividades nas escolas. Tal previsão, no entanto, caracteriza-se como um verdadeiro crime de lesa-cultura gaúcha sul-rio-grandense cometido contra a antiga, tradicional, forma de vestir das antepassadas mulheres gaúchas interioranas do Pampa do Rio Grande do Sul. Esse tipo de flexibilização só vem a favorecer os mercados interessados em vender em dobro botas, calças justas, cintas texanas, rastras platinas, lenços de pescoço nos estilos importados e chapéus claros, chaparral, não tradicionais. Assim, com o fim de atender aos próprios Fins Culturais do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado, e à Filosofia de Atuação Tradicionalista contida na sua Carta de Princípios, o uso da bombacha feminina, ao contrário das estranhas e indevidas liberalidades autorizadas pelo MTG/RSé de ser usada tão-somente nas atividades campeiras, como as provas competitivas dos Rodeios Gaúchos Crioulos da Antiga Tradição do RS; e nas cavalgadas campestres, rurais, não oficiais. Ou seja, o uso da bombacha feminina deve se dar só quando ela for realmente necessária, em respeito à História e aos antigos usos e costumes tradicionais dos gaúchos e gaúchas do Pampa Sul-brasileiro. Com o Vestido de Prenda realçando a graça e a beleza das Prendas Gaúchas Brasileiras, vestidas conforme o fizeram as antepassadas mulheres do interior pampeano do Rio Grande do Sul ao longo do tempo, desde antes da Era da Bombacha (1870), a Mulher Tradicionalista Gaúcha estará cultuando, zelando, preservando, retransmitindo e corretamente divulgando, para o mundo, a autêntica, a antiga Tradição Regional do Rio Grande do Sul!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
18/10/2007 15:30:20 pedro castelli - são jose do rio preto / SP - Brasil
Moro em São José do Rio Preto-SP e minha esposa é mineira, mas adora o RS e usa pilchas em todos os nossos fandangos.
Sítio: *****
19/10/2006 15:29:32 janice claudete grutzmann - chapecó / SC - Brasil
A cultura gaúcha hoje é sinônimo de respeito e requer ambiente familiar. É nosso dever resgatar as origens, repassando à geração futura a honra de ser Gaúcho...
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document