Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Tiranos:
Tudo que tenho, de Ângelo e Ricardo Marques,
João Sampaio e Silvestre Araújo

 

18/11/2006 08:15:02
O ENART E A MPB!
 
Nem toda a Arte Sul-rio-grandense é da antiga Tradição do RS
ou Tradicionalista Gaúcha Brasileira!
............................................................................

Muitos reclamam que os Grupos de Danças Folclóricas Gaúchas Sul-rio-grandenses participantes do ENART – Encontro de Artes e Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul se profissionalizaram. E é verdade! A maioria das Invernadas Artísticas do Tradicionalismo transformou-se em grupos profissionais naquilo que fazem. Muitos diretores artísticos conduzem a Invernada de seu CTG como se fosse uma empresa, com profissionalismo. Aquela descontração da disputa gratuita e da camaradagem há muito que já se acabou. Hoje ela só é vista na hora da confraternização, por ocasião do encerramento do evento. Em algumas Invernadas, inclusive, existe uma seleção referente à altura, ao tipo físico e ao peso, entre aqueles que querem participar do Grupo de Danças. Os integrantes que no decorrer do ano ganharem alguns quilinhos a mais são convidados a se retirar. É claro que há também aquelas que procuram manter tudo como era antes, sem o profissionalismo, mas com muito amor ao Tradicionalismo. Mas é claro que se torna muito difícil competir em igualdade de condições com as profissionalizadas. É uma luta desigual. Alguns grupos chegam ao cúmulo de não conversar com outros, isolando-se e esquecendo-se de que estão em uma reunião de gaúchos e gaúchas, e que o mínimo que se espera deles é a cordialidade e a camaradagem, procedimentos típicos da antiga Tradição dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. E pasmem! Chegam a contratar coreógrafos do Rio de Janeiro e de outras plagas, para os trabalhos de Entrada e Saída. São profissionais pagos a preço de ouro! Há muito que alguns deles chegam a fazer a coreografia de duas ou três Invernadas, as quais irão se enfrentar no tablado daquele tradicionalista festival. Será que a vencedora do concurso importa a esse profissional? É claro que se aquela que venceu foi coreografada por ele, no próximo ano o mesmo estará valendo mais na Bolsa de Coreógrafos. E se não houver vencedoras, dentre as suas Invernadas, tanto faz. É um contrato de trabalho como outro qualquer, e seu cachê já está garantido. É claro, também, que não se pode negar que no ENART se apresenta o supra-sumo da arte tradicionalista gaúcha sul-rio-grandense. Só os melhores em suas modalidades chegam até ali. As Danças Folclóricas do Rio Grande do Sul são de uma beleza fantástica e conseguem fazer silêncio em um público de 5 mil pessoas no ginásio: ninguém respira. E as Invernadas que chegaram até o evento estão de parabéns, mesmo que não tenham obtido classificação entre as finalistas. Mas em algumas delas, na entrada das suas apresentações foram coreografadas músicas sertanejas, forró, catira e também a música de Lupicínio Rodrigues Felicidade. Acho que se esqueceram de que o ENART se destina a enaltecer a arte da antiga Tradição dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul, e que ele é um Festival de Encontro das Artes Regionalista-tradicionais Gaúchas Sul-rio-grandenses. Isso precisa ser revisto! Quanto a Lupicínio Rodrigues, apesar de ser sul-rio-grandense de nascimento, nunca foi um "gaúcho" ou um Tradicionalista Gaúcho. Foi um excelente compositor de MPB - Música Popular Brasileira, o precursor da dor-de-cotovelo e um boêmio incorrigível. É preciso lembrar que nem todos os que nascem no Rio Grande do Sul são Gaúchos ou Tradicionalistas Gaúchos apegados à Cultura Regionalista-tradicional do Pago Sulino Brasileiro. Não precisamos homenagear músicos da MPB, e sim aqueles que viveram comprometidos com a verdadeira Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul. E olhe que não são poucos! Não quero dizer, com isto, que Lupicício Rodrigues não mereça todas as homenagens. Claro que merece! Mas deixemos isto para os adeptos da música e dos eventos da MPB! (do colaborador do BL e Mangrulho do ONTGB no Sul do Brasil, Ademir Canabarro: um Missioneiro!)

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
18/11/2007 15:32:27 Ivo Leovaldo Pires Pereira - Gravataí / RS - Brasil
Amigo Ademir. Ao ler o teu comentário sobre o ENART e a MPB posiciono-me como Tradicionalista para poder fazer um pronunciamento. Lamentavelmente o que está ocorrendo é uma falta de respeito com as nossas mais puras tradições. E os responsáveis por tudo isto são exatamente os nossos mandatários maiores, que fazem vistas grossas e não tomam as devidas providências para erradicar essas aberrações promovidas dentro do nosso Movimento Organizado. Enquanto tivermos elementos descompromissados com as nossas mais puras Tradições Gaúchas e Brasileiras, não mudaremos o que está errado. Cabe a nós denunciar de público a nossa desconformidade com tudo o que está acontecendo.
Sítio: *****
19/11/2006 22:41:40 Jorge Lima - São Miguel das Missões / RS - Brasil
Amigo Ademir. Estás correto no teu comentário. Infelizmente, a ganância e a soberba está ficando acima da hospitalidade, da congratulação e da luta pela nossa cultura. Mesmo entre as Invernadas de CTGs que não participam do ENART, mas que se apresentam em qualquer outro evento ou em qualquer festa tradicionalista, já existe aquele clima de competição. No meu entender, cada qual deve mostrar o seu trabalho, a sua luta em prol da tradição, mas sempre colocando acima de tudo a cordialidade e a integração, pois, afinal, lutamos pela mesma causa: o culto e a defesa das Tradições do Rio Grande! Um abraço deste missioneiro!
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document