Usuário:
 
  Senha:
 
 

Walther Morais:
Sovando lombo de potro, de
Mário Nenê, Getúlio Silva e
Walther Morais

 

25/11/2006 07:47:57
A TRADICIONAL GINETEADA DOS GAÚCHOS DO RIO GRANDE!
 
Gineteada Gaúcha Brasileira: amostra da doma tradicional
dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do RS!
............................................................................

No Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro há de haver a preservação da autenticidade da antiga Tradição dos Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-rio-grandense. Suas Gineteadas Tradicionalistas, por exemplo, devem ostentar a Pilcha Gaúcha Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, especialmente a tradicional bombacha (calça larga), a camisa sóbria e de cor neutra, amena, mais clara, a guaiaca e o chapéu escuro tapeado na testa. Seus Rodeios Gaúchos Crioulos da Antiga Tradição do Rio Grande do Sul não devem estar vinculados aos fins comerciais e suas vultuosas premiações, pois o MTG Brasileiro não tem - ou não deveria ter - fins lucrativos e mercadistas.  A finalidade cultural da gineteada do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro é conservar as tradicionais - e portanto antigas - lidas campeiras dos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Rio Grande do Sul, mostrando ao público tradicionalista e assistente a agilidade dos peões ginetes gaúchos sul-brasileiros. Na prova campeira de Gineteada Tradicionalista Gaúcha, a doma tradicional dos gaúchos sul-rio-grandenses é de ser demonstrada com o devido respeito à típica indumentária do Estado Sulino e ao seu estilo regionalista-tradicional próprio. O índio pelo-duro do Rio Grande nunca se utilizou dos apetrechos que atualmente muitos, por interesses comerciais, copiam e importam de outras plagas. O que sempre o identificou foi a sua vestimenta tradicional e a reconhecida destreza na execução de seu rude ofício. Como ficou demonstrado no I FENART, na cidade de Coxim-MS, no ano de 1994, os ginetes de Bagé e São Gabriel revelaram ao Brasil o porquê da fama que o gaúcho do Rio Grande tem de ser um exímio ginete e um excelente cavaleiro. E apesar das importações e das inovações mercadistas sem fronteiras levadas para os Rodeios Comerciais, mas não Gaúchos Crioulos da Tradição Regional do Rio Grande do Sul, em nome dos espetáculos e de seus comerciais fins, as Gineteadas Tradicionalistas Gaúchas em potros baguais devem continuar mantendo o nosso já famoso, regional, antigo, tradicional, Estilo Gaúcho Sul-rio-grandense, isto é, a gineteada em pelo sem os sedéns e outros artifícios que servem para fazer o cavalo corcovear, apertado pela dor. A doma gaúcha tradicional do Rio Grande deve seguir sendo mostrada ao mundo por meio da Gineteada Tradicionalista Gaúcha do MTG do Brasil, Instituição Cultural responsável pela preservação da antiga, campeira e regional Tradição Gaúcha Brasileira, oriunda dos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Rio Grande do Sul. Nesse mister, o peão ginete gaúcho brasileiro continuará mostrando quem manda, baixando o mango de cima pra baixo, bem no meio da orelhas do potro xucro a ser domado. Esta é a Tradição Regional recebida por herança dos antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Assim, as Gineteadas Tradicionalistas devem ser cultuadas, zeladas, defendidas, preservadas, retransmitidas e corretamente divulgadas pelo Tradicionalismo e seus Eventos Tradicionalistas Gaúchos, em honra ao valioso e antigo Patrimônio Sociológico-tradicional pertencente ao Estado do Rio Grande do Sul, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
05/07/2010 18:00:50 Maria Angela Mota Gil - Amajari / RR - Brasil
Eu acho que a doma tradicional, assim como as gineteadas, são ótimas. Cavalos têm que ser na mão e não só no sinal e perninha pra lá, perninha pra cá. Acho que é na rédea que o macho tem que responder; e os gaúchos sabem domar o trem!
Sítio: http://Vila Brasil - Amajari/ RR
05/08/2009 22:44:51 fernando kA - goianesia / GO - Brasil
Eu acho que a doma tradicional, assim como as gineteadas, são ótimas. Cavalos têm que ser na mão e não só no sinal e perninha pra lá, perninha pra cá. Acho que é na rédea que o macho tem que responder; e os gaúchos sabem domar o trem!
Sítio: *****
07/02/2009 20:48:53 fabiano fraga machado - viamao / RS - Brasil
Muito boa esta página!!!
Sítio: *****
25/11/2008 16:03:10 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Para responder ao comentário postado por Cris, esclarecemos que a verdadeira, típica e tradicional Gineteada Gaúcha do Rio Grande do Sul é a executada na modalidade "em pelo", em cavalos verdadeiramente xucros e com ginetes usando a autêntica, campeira e regional Pilcha Gaúcha Oficial do Rio Grande do Sul, e não essas gineteadas do mercado "mercosur", como "garupa sureña", "basto aberto" e outras que se utilizam de sedéns no corpo ou na boca do cavalo com o fim de fazê-lo corcovear, o que contraria frontalmente a própria legislação do Estado do RS (Lei 11.719, de 07.01.02, alterada pela Lei 12.567, de 13.07.06) e que por isso devem, ou deveriam, ser caracterizadas como legítimos crimes de maus tratos contra os animais. Quanto ao destino dos cavalos utilizados nos Rodeios, se estes forem os Rodeios Gaúchos Crioulos da Tradição do Rio Grande do Sul, em sendo o potro xucro, após as provas, ou continuará xucro ou um pouco menos xucro. Lembremos, ainda, que na Tradição Gaúcha do Rio Grande o peão ginete domador de potros não amansou baguais, nas estâncias do Estado, com torrão de açucar nem com petiscos de cenoura ou alisando-o, mas mostrando ao bicho quem manda, quem o irá comandar quando for o domado Parceiro de Campo e de Tradição dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
22/11/2006 19:19:49 Cris - brasília / DF - Brasil
Cássio, seus questionamentos não foram respondidos,mas são pertinentes. A cultura que idolatra a figura do cavalo é a mesma que o espanca. Adoro uma gineteada,mas não posso negar que às vezes torço pelo cavalo..rs Também gostaria de saber o que acontece com esses cavalos de rodeios no final da "vida útil".
Sítio: *****
21/11/2006 14:19:39 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Prezado Cássio. Deves lembrar da matéria publicada no dia 05.10.2006, sob o título "Os Rodeios Crioulos e os direitos dos animais", disponível no espaço "Matérias", deste sítio. Nela informamos que o Rio Grande do Sul dispõe de uma lei regulamentadora dos Rodeios Crioulos, cujo objetivo é justamente o de evitar os maus tratos e os eventuais excessos cometidos contra os animais. Contudo, no intuito de melhor esclarecer a juventude que não têm qualquer tipo de informação a respeito do tema, que não é com torrão de açucar e cenoura que um gaúcho campeiro domava um cavalo xucro. Na autêntica tradição dos gaúchos o domador sempre foi conhecedor da arte de domar, de ginetear. No começo, depois de largada a orelha do potro, ele sabe que não deve surrá-lo, para conhecer o jeito do corcovo, o jogo do corpo e o balanço do bicho. Mas depois desce o mango e risca-o de esporas, das paletas até as virilhas. Dessa forma é que os cavalos xucros sempre foram domados no Sul do Brasil; e assim continuarão sendo, nas estâncias do Rio Grande, por uma questão de lógica tradicionalista: a preservação dos autênticos costumes dos Centauros das Coxilhas, os Gaúchos Brasileiros!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
21/11/2006 12:48:39 Cássio - Medianeira / PR - Brasil
Buenas José Itajaú! Detesto o "rodeo country". Montar em touro, é na minha opinião, uma idiotice, e conheço muitíssimo bem a diferença entre "rodeos" e rodeios crioulos Mas o que questiono aqui não é o fator tradição. O animal xucro também sente dor, e por mais cuidados que se tomem, maus tratos podem ocorrer, por parte de ginetes e peões que acreditam que somente com "muita pancada" um animal aprende. Manter a tradição sim, mas sem violência com os animais. Hoje, nas provas da ABCCC o animais são examinados antes e depois das provas, e se os mesmos apresentarem ferimentos, o ginete perde valiosos pontos. Isso resolve a situação? Não totalmente, mas faz com que em provas futuras mais cuidados sejam dados ao animal. Já vi bagual quebrando a perna em gineteadas, por isso faço estes questionamentos.
Sítio: *****
21/11/2006 12:25:27 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Prezado Cássio. Primeiramente, é preciso diferenciar os Rodeios Crioulos gaúchos dos "rodeos" texanos dos paulistas, mas que já são explorados, hoje, até no Rio Grande do Sul. Nesses "rodeos" os animais são mansos e trabalhados, preparados para serem explorados até quando aguentarem. Artifícios como o sedem - artefato de couro amarrado fortemente sobre o pênis e puxado com força no instante em que o bicho entra na arena, pimenta no ânus, choques, pregos sob o sedém, entre outros, são mecanismos utilizados para fazer touros e cavalos mansos agirem como se xucros fossem. No Rodeio Crioulo do Rio Grande do Sul não se gineteia em touro e o cavalo é xucro mesmo. Só deixará de o sê-lo se for domado. A gineteada é apenas uma demonstração da rude lida da doma gaúcha e da habilidade do peão campeiro sulista. E a tal da doma racional, na qual o domador alisa o bicho sem nunca baixar o rabo de tatu no bagual não faz parte da tradição dos gaúchos campeiros. Estes, para amansar um potro xucro, conforme o sistema tradicional da região sul-brasileira, lá nas estâncias do Rio Grande, continuarão preservando a tradição gaúcha, ginetenado e domando os potros xucros no antigo e tradicional sistema dos Campeiros do Brasil! Um abraço!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
21/11/2006 11:13:37 Cássio - Medianeira / PR - Brasil
Buenas!! A gineteada é uma prova autenticamente gaúcha, e representa bem mais a atividade campeira da doma, sem os artificialismos do rodeio paulista (americano). Mas uma questão fica sem resposta. Ao contrário dos tempos antigos, em que o cavalo era muito usado no dia-a-dia, o domador realizava seu trabalho para fornecer animais de monta, transportes e demais atividades do campo. E hoje? o que é feito destes animais após seu período "útil" nos rodeios? Não existe mercado para tantos animais assim, não me venham com este argumento. Até porque, o mercado de cavalos é na atualidade altamente especializado e os animais de rodeio não são tão selecionados geneticamente, ninguém selecionaria animais de alto padrão racial para rodeios. Um potro não é xucro a vida inteira, e chega o momento da "aposentadoria". O que lhe acontece depois? Na festa e no rodeio ele pode ser uma estrela. E depois? Pensem bem nisso. Não sou contra os rodeios crioulos. Muito pelo contrário, eu gosto e valorizo, por valorizar a cultura gaúcha, mas acredito ser pertinente meus questionamentos.
Sítio: *****
Listados 9 Comentários!
Untitled Document