Usuário:
 
  Senha:
 
 

Pedro Ortaça:
Chimarrão a dois

 

04/03/2008 18:14:46
A FILOSOFIA E O VERDADEIRO LEMA CULTURAL DO MTG BRASILEIRO!
 
Chimarrão: o Sangue Verde dos Gaúchos Brasileiros!
............................................................................

O Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro é um Movimento de Preservação das antigas Tradições Regionais dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Sua Doutrina Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense e sua Filosofia de Atuação Cultural estão bem delineadas na sua Carta de Princípios Tradicionalista. Por esta não poderia haver conveniências interesseiras no Meio Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado. Nem os falaciosos argumentos a favor da evolução da sociedade deveriam ser estendidos à antiga, centenária, campeira e regional Tradição dos Gaúchos do Pampa do Rio Grande do Sul. Os integrantes do MTG Brasileiro, os quais deveriam Fazer Tradição Gaúcha Sul-rio-grandense, em cumprimento à disposição institucional-estatutária do Órgão Tradicionalista ao qual integram, deveriam estar cientes de que esse ato envolve a retransmissão, de pais para filhos, espontânea e contínua, pelo tempo, dos antigos usos e costumes regionalista-tradicionais dos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Sul do Brasil. Todos deveriam, também, ter a consciência de que assuntos como a preservação do Meio Ambiente, um dever intrínsico a todo o cidadão, à família, à escola, aos vários órgãos governamentais específicos da política de Estado, não deveriam superar, dentro do MTG, os temas relacionados à Preservação do Meio Tradicionalista Gaúcho Brasileiro e seus Fins Culturais de proteção, cuidado e manutenção da autenticidade das antigas e regionais Tradições dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Afinal, o único Órgão Cultural com essa responsabilidade de preservação do antigo Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado Sulino, do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense, fundado na região do Pampa Sul-brasileiro, e da Filosofia Tradicionalista contida na sua Carta de Princípios, é o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado. Assim, por evidente, o comércio e o uso de indumentárias importadas, modernas e estranhas à antiga, regional e campeira Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Estado do Rio Grande do Sul, de interesse dos mercados musical sem fronteiras, crioulista-mercosurista, comercial-nativista, tchesista-urbano, todos sob a influência do mercado country-texa-sertanejo, são indevidos no MTG do Brasil. Da mesma forma os seus ritmos, compassos musicais e conteúdos amorais alheios aos bons costumes da antiga e campeira Tradição Gaúcha Sul-rio-grandense. Logicamente que tchê music, forró, xote nordestino, batucada axesiana, maxixe, tango, música country-sertanejarasguido, arrabaleras de arrabaldes urbanos de outras plagas, mas não do interior pampeano do Rio Grande do Sul, não deveriam ser executadas e vendidas no Movimento Tradicionalista Gaúcho BrasileiroSe há criminosas flexibilizações, pelo voto e pelo lucro, da Atuação Tradicionalista, elas estão a beneficiar apenas a certos interesses político-partidários e comerciais, mas não à concretização dos altos Fins Culturais do MTG. Se há muito que tudo pode em virtude do interesse eleitoreiro e do retorno econômico-financeiro de alguns privados interesses, isso é de ser caracterizado como uma desprezível e hedionda Corrupção Cultural de um Bem Cultural Público, porque de propriedade do Estado do Rio Grande do Sul, dos Sul-rio-grandenses, do Brasil e de todo o Povo Brasileiro. Se o próprio MTG do Rio Grande do Sul, na sua campanha ambiental de 2008, apregoava que Tradição é Preservar, as referidas flexibilizações certamente que estão a atentar visivelmente contra o verdadeiro ato de Fazer-se Tradição Gaúcha Sul-rio-grandense. Portanto, as atuações culturais de Órgãos, Entidades e Tradicionalistas filiados ao MTG Brasileiro deveriam estar adequadas à Filosofia da Carta de Princípios, às Diretrizes para o Uso Adequado da Pilcha Gaúcha Oficial do Rio Grande, nos termos da legislação estadual sul-rio-grandense (Lei 8.813/89). A execução de músicas gaúchas genuinamente tradicionais, a realização de Fandangos Gaúchos da Antiga e Campeira Tradição Gaúcha do RS, com artistas, músicos e grupos verdadeiramente Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros nas composições musicais, nas indumentárias típicas, tradicionais, e no respeito à instituição MTG e seus Fins Culturais, é o que deveria ocorrer no Meio Tradicionalista Gaúcho do Brasil. Pois sendo o Tradicionalismo um Movimento de Preservação das Antigas e Regionais Tradições dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul, o discurso a ser proferido no seu Meio Ambiente Tradicionalista é aquele contido no lema da Filosofia de Atuação de sua própria Carta de Princípios, a qual está a relembrar a todos que Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro é preservar o antigo Patrimônio Sociológico-tradicional Sul-rio-grandense; é Fazer-se Tradição Regional Gauchesca do Brasil, isto é, retransmitir de forma preservada, de pais para filhos, para as novas e futuras gerações, os antigos usos e costumes regionalista-tradicionais dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul! 

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
04/03/2008 21:23:17 Juarez Mombelli - Florianópolis / SC - Brasil
Boa, concordo em partes, outras penso de maneira diferente, contudo o importante é trocarmos idéias e ajudar a tradição a seguir firme e forte.
Sítio: http://parceirosdailha.vilabol.uol.com.br
Listado 1 Comentário!
Untitled Document