Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Monarcas:
Tirando o meu chapéu pra Deus,
de João Alberto Pretto, Martin Agnoletto
Pedro Neves e Gildinho

 

08/05/2008 17:42:35
TIRANDO O CHAPÉU PARA O PATRÃO VELHO DAS ALTURAS!
 
A Vida e a Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense
são Direitos Humanos garantidos a todos os Brasileiros!
............................................................................

O velho Bento exclamou, abismado: - Mas bá, chê, que baita domador esse guri! Nicanor assentou, igualmente extasiado: - É verdade, meu patrão! Um ginete de mão cheia esse piá!. Rafael, firmezito no lombo do aporreado, com o braço direito erguido e o chapéu na mão, bailando no ar, mostrava ao redomão quem dava as cartas naquele “jogo-de-mano campeiro”. Bento tinha toda a razão, o gurizito nascera mesmo para ser ginete. O capataz Nicanor, encantando com a destreza de Rafael no controle do caborteiro, lembrava que aquele piá poderia não ter tido a sorte de estar ali, agora, demonstrando ao avô o seu destino de domador gaúcho do Rio Grande. Ritinha, a filha de Bento, ao engravidar do pai do piazito - um peão de nome Gervásio, famoso na arte de domar potros xucros -, e por influência de Sia Dolores - uma raizera da região -, já estava quase decidida a abortar o filho. Primeiro por inexperiência, segundo por medo da reação de seu velho pai. Entretanto, sorte não é para quem quer, mas para quem a tem! O velho capataz, ao saber do fato por intermédio de sua esposa Dona Carmem comunicou-o imediatamente ao patrão, por uma questão de amizade e, principalmente, humanidadeBento, homem rude e de firmeza de princípios, também pensava como seu capataz Nicanor: a vida é um dom de Deus e somente Ele pode decidir sobre o seu início e o seu término. Acolhendo prontamente a filha e o ser humano que ela trazia no ventre, deu-lhes todo o apoio para que ambos, com tranquilidade, aguardassem o segundo dia mais importante de seu futuro neto nesta jornada terrena: o dia do seu nascimento. E agora ali estava o piazito, tironeando um beiçudo como um grande domador de potros. Que alegria para Bento e Nicanor vê-lo sorridente e realizado na vida que recebeu do Patrão Velho das Alturas, com o gosto pela doma de cavalos e pelo jeito simples de viver dos campeiros gaúchos do Sul do Brasil, herança recebida de seu desconhecido pai e de sua amada e querida mãezinha. Rafael, após aquela manhã de domingo, continuou tirando o seu chapéu para Deus, por toda a sua vida de domador, na sua Querência Gaúcha do grande Rio Grande do Sul! No dia 07.05.2008, na Sessão da Comissão de Seguridade Social e Família - CSSF, da Câmara dos Deputados, em Brasília-DF, uma decisão histórica fez valer o mais importante Direito Fundamental do Homem: o Direito à Vida. O Projeto de Lei 1.135/91, dos ex-deputados Eduardo Jorge e Sandra Starling, que descriminalizavam o aborto provocado pela própria gestante ou com o seu consentimento, e também o Projeto de Lei 176/95, de autoria do deputado José Genoíno (PT-SP), apensado ao primeiro, que permitia o aborto até os 90 primeiros dias de gravidez e obrigava a rede hospitalar pública a realizar o procedimento, foram rejeitados pelo Relator da Matéria, deputado Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP). O Parecer da Relatoria, contrário aos referidos PLs, foi aprovado por todos os membros que votaram na CSSF, presidida pelo deputado Jofran Frejat (PR-DF). As referidas propostas de descriminalização do aborto no Brasil foram derrubadas por unanimidade, pelos votantes. Dos três deputados representantes do Estado do Rio Grande do Sul, naquela Comissão de Seguridade Social e Familia, apenas Germano Bonow (DEM/RS), médico de Porto Alegre, posicionou-se contrário à cultura da morte de indefesos inocentes, defendida pelo Ministério da Saúde e pela base de apoio político do governo federal. Os outros dois, o médico pediatra Darcisio Perondi (PMDB/RS) e o médico homeopata Pepe Vargas (PT/RS), de Caxias do Sul, tentaram, em vão, suspender a votação, com falhos argumentos, como o que afirmava que o assunto não havia, ainda, após 17 anos de tramitação na Casa, sido suficientemente debatido. Acabaram, contudo, diante do fracasso de suas frustradas tentativas, retirando-se da Sessão antes do início da votação final. Foram, nesse ato, acompanhados dos deputados Paulo Rubem Santiago (PDT/PE), Dr. Rosinha (PT/PR), Janete Rocha Pietá (PR/SP), José Jenuino (PT/SP), Cida Diogo (PT/RJ), e outros. Assim, com votos dos suplentes, o resultado favorável à vida e contrário à morte de seres humanos em desenvolvimento, indefesos e inocentes, foi de 33 votos a zero. Mas todos eles, que participaram dos debates, tiveram a mesma sorte do piazito Rafael, qual seja a de não terem sidos abortados no ventre de suas mães, na eventualidade da ocorrência de alguma possível dúvida ou influência externa, no passado. Todos gozaram do privilégio de estarem presentes naquela histórica data de 7 de maio de 2008, na defesa democrática de seus objetivos. Uns comprometidos com o lucro das clínicas de aborto que o mercado internacional pretende instalar em nosso país, tal como já foi feito, recentemente, no México, em Portugal e, brevemente, no Uruguai, ou até pelo simples fato de pertencerem à base de apoio do governo defensor dos citados Projetos; outros, como humanistas, para lutar em defesa da vida de inocentes indefesos, seres humanos com o mesmo direito à proteção, estatal e social, ao seu natural desenvolvimento físico e psíquico. E embora ainda restem outras pelejas, decorrentes de recursos ao plenário, se depender de muitos humanistas, representantes dos interesses do povo brasileiro e defensores da dignidade da pessoa humana, incluída aí a do embrião, do feto, do nascituro, não haverão de conseguir êxito no Brasil os exploradores e aniquiladores do Dom Divino da Vida Humana. Em 07.05.2008, 33 valorosos parlamentares brasileiros da CSSF bem representaram a imensa maioria do povo brasileiro, ao dizerem sim à vida e não a essa exploração mercadista covarde e sem qualquer escrúpulo. Se o piazito Rafael, desde a concepção, já era um ginete gaúcho agraciado com a vida de campeiro do Rio Grande, também na sua vida intra-uterina era de merecer ele a proteção, o cuidado e a preservação da vida com que fora contemplado nesta existência, por impossibilitado de agir em sua própria defesa. Portanto, diante dessa venerada e acertada opção pela vida, que derrubou as propostas de liberação da morte de nascituros no Brasil, nós, do sítio Bombacha Larga, em homenagem a todos os defensores da Dádiva Divina da Vida, retiramos o nosso chapéu, primeiramente para o Patrão Velho das Alturas, e, depois, para todos os parlamentares da CSSF da Câmara dos Deputados, que votaram pela rejeição dos malfadados Projetos de Lei favoráveis ao aborto, em especial ao Deputado Federal Germano Bonow, pelo seu coerente posicionamento diante do Juramento de Hipócrates e o seu elevado sentido moral e humanitário, o qual manda o médico manter o mais alto respeito pela vida humana, desde a sua concepção! Parabéns, Deputado Doutor Germano Bonow! Outros Rafaéis do Rio Grande e do Brasil, presentes e futuros, também agradecem a esse brasileiro sul-rio-grandense, Defensor da Vida Humana: o Bem Maior recebido pelo Homem!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
10/05/2008 16:23:57 Edemir Roque Salvi - Sta Maria / RS - Brasil
Olá, meu velho amigo! Tomara Deus que muitas e muitas pessoas, por estes pagos, façam o mesmo: leiam e divulguem matérias como esta. Parabéns pela iniciativa! Abrs! 73! Salvi
Sítio: *****
08/05/2008 22:39:27 Paulo Hentz - Concórdia / SC - Brasil
Parabéns por este belo trabalho que estão realizando, para incentivar e preservar a rica tradição gaúcha!
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document