Usuário:
 
  Senha:
 
 

Julio Monteiro:
Relembrando a Querência

 

02/06/2008 16:33:27
A MERCANTILIZAÇÃO DA CULTURA DOS GAÚCHOS BRASILEIROS!
 
Tradicionalistas Brasileiros são aqueles que prezam muito e preservam
a Antiga e Regional Tradição dos Antepassados Gaúchos Campeiros
do Pampa do Rio Grande do Sul!
............................................................................

A Mercantilização da Cultura Regionalista-tradicional do Rio Grande do Sul é fenômeno que atende aos interesses dos mercadistas, mas que deturpa, altera, substitui, corrompe a autenticidade das antigas Tradições Regionais dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-rio-grandense. Por isso, os representantes dessa Exploração Cultural não deveriam frequentar o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro sem o devido respeito aos Fins Institucional-estatutários e às Diretrizes Tradicionalistas dessa Instituição Cultural. Porém, não é isso o que ocorre na prática. A Dupla César Oliveira e Rogério Melo é apenas um dos exemplos dessa Impropriedade Tradicionalista verificada no MTG Brasileiro organizado. Os referidos artistas receberam em 2008 o Prêmio TIM de Música, na categoria Melhor Dupla Regional. Os músicos, a gravadora ACIT, as empresas patrocinadoras e promotoras das grifes, todos se sentiram contemplados com essa comercial distinção. A outorga foi promovida por uma empresa que, possuindo as mesmas pretensões comerciais sem fronteiras do mercado musical, também apoia eventos do MTG/RS, como aconteceu na Ciranda Cultural de Prendas. O efeito comercial gerado por tal prêmio é certamente compensador para todos os que atuam no comércio da música e da moda. Entretanto, o Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro há de saber separar os músicos gaúchos mercadistas daqueles que são verdadeiramente tradicionalistas ou que assim se apresentam no MTG. Os primeiros, também regionalistas, por razões óbvias de negócio tocam e vestem o que for melhor para o mercado musical, seus produtos de marca e seus fins econômico-financeiros. Os segundos, quando "contratados" pelo Tradicionalismo, vestem a autêntica e oficial Pilcha Gaúcha de Honra do Rio Grande do Sul, respeitando a legislação estadual sul-rio-grandense, os regulamentos tradicionalistas e executando somente músicas com ritmos, compassos e conteúdos morais compatíveis com a antiga Tradição Regional dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Por isso o Tradicionalismo cometeu um erro cultural grave todas as vezes que "contratou" a referida Dupla, outros músicos "gaúchos" e bandas para seus Eventos Tradicionalistas, permitindo-lhes usar indumentárias e tocar músicas incompatíveis com seus regulamentos culturais e a sua Filosofia Tradicionalista de Atuação Cultural. Esta, evidentemente, que não contempla rastras platinas, boinas coloridas importadas, lenços estampados, pretos, escondidos, virados, folclóricos, por fora do pescoço, exagerados, triangulares, à meia espalda; nem as camisas vermelhas, pretas ou em outras cores berrantes; os coletes em tons contrastantes com o tecido da bombacha e com corte diverso do tradicional colete gaúcho sul-rio-grandense; as facas ostentadas no estilo argentino e as bombachas com alças no cós, bolsos traseiros e largura incompatível com a própria etimologia do termo: calça larga. Enfim, a Dupla César Oliveira e Rogério Melo e quaisquer outros artistas e bandas musicais que venham a receber ou pagar cachê para se apresentarem no Movimento Tradicionalista Gaúcho do Brasil devem respeitar não só os Estatutos Sociais do Órgão Tradicionalista "contratante" ou "contratado", mas também a Filosofia do Sistema MTG Brasileiro organizado e a autenticidade das antigas Tradições dos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Rio Grande do Sul. Pois, quando os mercados sem fronteiras e seus patrocinados desnaturam, modificam, descaracterizam, "integram", corrompem um Bem Cultural Público pertencente ao Estado do Rio Grande do Sul, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro, como é o caso da antiga Tradição Gaúcha Sul-brasileira, eles deixam de exercer mero comércio para passar à prática do crime de lesa-cultura gaúcha sul-rio-grandense, a um assassinato cultural regionalista-tradicional gaúcho sul-brasileiro. Portanto, às empresas "Dupla César Oliveira e Rogério Melo" e ACIT os nossos cumprimentos pelo prêmio da TIM e pelo retorno econômico-financeiro dele decorrente. Ao Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro deixamos aqui outros votos: que seus Fins Culturais de preservação de sua Carta de Princípios, do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense - fundado no Pampa Sul-brasileiro -, da Identidade Cultural Regionalista e do antigo Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul sejam efetivamente perseguidos, afirmados, cumpridos, concretizados, especialmente frente aos enormes interesses engendrados por essa criminosa Mercantilização da Cultura Regionalista-tradicional do Estado do Rio Grande do Sul e dos Gaúchos Brasileiros!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
03/06/2009 21:05:56 José Itajaú Oleques Teixeira - Taguatinga / DF - Brasil
Prezada visitante Vanessa. Agradecemos a tua importante participação neste espaço cultural tradicionalista gaúcho. Naturalmente que respeitamos o teu posicionamento pessoal, mas dele frontalmente temos de discordar. Este sítio, por ser Tradicionalista Gaúcho, não visa defender artistas do meio musical e seus interesses comerciais, mas a Filosofia do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro de preservação do Patrimônio Sociológico-tradicional dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. Assim, nada temos contra essa dupla ou outros artistas e bandas que se encontram no mercado musical. Contudo, quando eles se apresentam no Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, deixando de observar os fins culturais, as diretrizes do MTG para as indumentárias regionais e a execução de conteúdos morais, ritmos e compassos musicais compatíveis com a Tradição dos Gaúchos Interioranos do Pampa do Rio Grande do Sul, aí, sim, temos de criticar não só suas atitudes comercialistas como, também, as condutas dos pseudostradicionalistas que os levam para os palcos de seus tradicionalistas eventos. Portanto, falta de respeito é alguém, por motivos pessoais e comerciais, adentrar no Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro para vender estilos “mercosuristas” ou texanos estranhos à Cultura Regionalista-tradicional do Estado do Rio Grande do Sul, ou para executar músicas não típicas e tradicionais dos Gaúchos Campeiros do Estado Sulino. Para quem não sabe o que venha a ser Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, o melhor a fazer é ler a Carta de Princípios desse Movimento Cultural Regionalista-tradicional Gaúcho Sul-rio-grandense. Somente com esse conhecimento é que se pode aquilatar o nível de “originalidade” de todos aqueles que se utilizam, com um fim comercial, do MTG Brasileiro. Só assim poder-se-á verificar o nível do desrespeito de alguns deles à Doutrina, à Filosofia de Atuação, aos reais Fins Culturais do MTG do Brasil, de culto, zelo, defesa, preservação e correta divulgação, para o mundo, das autênticas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-rio-grandense. E conhecer essa campeira e antiga Tradição Regional Sul-brasileira é, igualmente, ato essencial para a realização de qualquer crítica, sob o risco de se falar de algo sem qualquer embasamento mínimo. Aproveitamos para esclarecer-te, ainda, que nem todo o gaúcho, o folclorista, o músico, o artista, a empresa comercial que explora a Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense é Tradicionalista ou pertencente ao Tradicionalismo. E quem não é Tradicionalista não deve, ou não deveria, estar no Meio Tradicionalista, a menos que se propusesse a respeitar a Doutrina, a Filosofia, os fins culturais, os estatutos, regulamentos, diretrizes do MTG Brasileiro, para o uso da Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Rio Grande do Sul, prevista em lei do Estado, cujas orientações não contemplam nem as “rastras” platinas nem as calças justas nem os lenços pretos, estampados, escondidos, virados, à meia espalda, triangulares, nem as facas na barriga ou as cores pretas e fortes, berrantes, contrastantes; nem os conteúdos amorais, os ritmos e os compassos musicais não tradicionais dos gaúchos do Rio Grande, como, p. ex, as regravações sertanejas e platinas, com objetivos meramente de comércio. Dessa forma, prezada Vanessa, os maiores culpados não são nem os artistas nem suas gravadoras ou seus patrocinadores, todos eles com naturais interesses econômico-financeiros, empresariais, mas os falsos "tradicionalistas gaúchos" que os levam para seus Eventos “Tradicionalistas” e os permitem afrontar, criminosamente, com suas modas comerciais, as verdadeiras, as genuínas, as autênticas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul; modismos esses que o mercado tenta impor, junto aos Órgãos e às Entidades do Sistema MTG Brasileiro organizado, mas que nunca integraram, não integram e jamais integrarão a verdadeira e antiga Tradição dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil. Tais interesses são promovidos por gaúchos – muitos deles apenas e tão-somente sul-rio-grandenses, uma vez que lhes falta o espírito dos campeiros sulinos e lhes sobra o intere$$e lucrativo -, mas não por Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros, estes sem qualquer interesse comercial e compromissados com os fins do MTG, dentre eles os de preservação da Carta de Princípios do Tradicionalismo, do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense, fundado na região do Pampa Sul-brasileiro, e do Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado e do Povo do Rio Grande do Sul. Assim, há que se distinguir, necessariamente, o Tradicionalismo do "Comercialismo"; o Gaúcho do “Sul-rio-grandense” ou “Brasileiro”; o Tradicionalista do “Comercialista”; o "Gaúcho" do Tradicionalista Gaúcho; e a Tradição dos Gaúchos Campeiros do RS dos "Modismos Comerciais Urbanos". Só dessa forma é que se pode identificar os reais “Exploradores da Cultura Regionalista-tradicional Gaúcha do Rio Grande do Sul”! Com as Saudações Gauchescas segue o nosso fraterno abraço a essa prezada visitante do sítio Bombacha Larga: na luta pela preservação das autênticas Tradições dos Gaúchos Sul-brasileiros!
Sítio: http://www.bombachalarga.org
03/06/2009 17:40:43 Vanessa - Curitiba / PR - Brasil
Olha; estou pasma com o texto! Sinceramente q tipo de orgulho Gaúcho vc traz??? Não sou Gaúcha, mas repeito e admiro mto o Estado e a tradição, e antes q me responda, eu conheço sim a tradiçao e costumes e por isso admiro, mas teu comentário provou o teu problema "pessoal" com uma dupla q é um ícone da música Gaúcha e q sem perder a originalidade conseguiu chegar onde outros Gaúchos não alcançaram. Vcs Gaúchos ou quem quer q seja devem respeito à qualquer um que cante a terra de vcs e suas tradições com devoção. Devia ter vergonha de ter escrito isso. Se tem alguém q entende de RS de bombacha ou de qualquer outra referência são esses dois folcloristas de fato à quem vcs devem acima de td sentir orgulho...
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document