Usuário:
 
  Senha:
 
 

Xirú Missioneiro:
Imagens do Sul

 

11/07/2008 19:55:53
A CBTG E SUA BANDEIRA DA ANTIGA TRADIÇÃO GAÚCHA BRASILEIRA!
 
Tradição Gaúcha Brasileira: usos e costumes antigos e regionais
dos Antepassados Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul!
............................................................................

O Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, por dever institucional, deve manter seus Estatutos sob o manto dos princípios filosófico-doutrinários constantes da sua Carta Tradicionalista, preservando e retransmitindo, para as novas e futuras gerações, as genuínas, as regionais, as antigas Tradições do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul. A CBTG – Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, entre os dias 11 e 13 de julho de 2008, realizou a sua 7ª Convenção Brasileira da Tradição Gaúcha na sede social do CTG Estância Província de São Pedro, de Gravataí-RS. Dentre outras atividades culturais tradicionalistas e institucional-estatutárias, conforme o item II do art. 23 de seu Estatuto Social, compete à referida Convenção aprovar projetos ou reformas do Regulamento Geral, dos Regulamentos Setoriais e dos eventos da Entidade Maior do MTG Brasileiro organizado. À Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha cabe, essencialmente, de acordo com o art. 1º de seu Estatuto, valorizar, organizar, defender, promover e representar as Tradições e a Cultura Gaúcha. Trata-se, naturalmente, da Cultura Regionalista-tradicional oriunda dos Antepassados Gaúchos Campeiros da Pampa do Rio Grande do Sul. À CBTG é atribuída, ainda, a finalidade contida no item VI do art. 3º de seu Regulamento Orgânico Maior, qual seja a de incentivar, em todo o território nacional, a preservação das Tradições Gaúchas, bem como as expressões ‘Movimento Tradicionalista Gaúcho’ e ‘Centro de Tradições Gaúchas’ e as siglas MTG e CTG, evitando o uso inadequado das mesmas e a sua utilização na denominação de entidades não identificadas com o Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro. Outra finalidade da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, nos termos do item V do art. 3º de seu Estatuto Social, é a de cumprir e fazer cumprir a Função Social do Tradicionalismo Gaúcho do Brasil, em todos os níveis do Sistema Confederativo Tradicionalista Brasileiro. Definindo essa Função Social do Tradicionalismo, o Parágrafo 1º do referido dispositivo esclarece que ela é, em todos os níveis de organização, o cumprimento Doutrinário dos ditames das Tradições e do Folclore Gaúcho Sul-rio-grandense, de prioridade para com a juventude e de promoção social pela valorização do homem e sua família. E, ainda, pelo Parágrafo 2º do mesmo artigo, a todos os Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros o Estatuto elucida que os objetivos da CBTG serão cumpridos em observância aos princípios filosóficos definidos na Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul, aprovada no VIII Congresso Tradicionalista Gaúcho realizado de 17 a 20 de julho de 1961, na cidade de Taquara-RS. Diante de todos esses e outros deveres culturais tradicionalistas e obrigações institucional-estatutárias, certamente que não é razoável que a própria Filosofia de Atuação Tradicionalista venha a ser aviltada pela Entidade Maior do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado, responsável por seu cumprimento, respeito e aplicação. Por isso, se a Função Social do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro está fundada na sua própria Doutrina Tradicionalista, aquele Órgão e as Entidades Culturais filiadas devem, igualmente, respeitar a Carta de Princípios do MTG/RS, cujo item XX prevê que o Tradicionalismo e os Tradicionalistas devem, todos, zelar pela pureza e fidelidade dos nossos costumes autênticos, combatendo todas as manifestações individuais ou coletivas que artificializem ou descaracterizem as nossas coisas tradicionais. Portanto, as modalidades de gineteada “garupa sureña”, “basto aberto”, suas indumentárias estranhas à antiga Tradição do Rio Grande do Sul, e às previstas no Anexo IV do Regulamento Campeiro da CBTG, a título de demonstração e em caráter experimental, podem até atender aos atuais interesses econômico-financeiros do Mercado Comum do Sul, mas não aos Fins Culturais e à Função Social do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro organizado; não aos deveres estatutários da CBTG de valorização, defesa, preservação, retransmissão e correta divulgação das autênticas, antigas e regionais Tradições dos Antepassados Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul nem à Filosofia de Atuação definida na Carta de Princípios do MTG organizado. Assim, para que haja a devida Coerência Cultural Regionalista-tradicional Sul-rio-grandense e a esperada Propriedade Tradicionalista Gaúcha Brasileira, imperativa deveria ser a análise e a decorrente rejeição pela 7a Convenção Brasileira da Tradição Gaúcha do teor do art. 64 e seu Anexo IV, daquele referido Regulamento Campeiro da CBTG no tocante às comerciais gineteadas platinas, sob pena de estarem sendo gravemente desrespeitados os próprios Estatutos do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, os princípios filosófico-doutrinários constantes de sua Carta Tradicionalista e, por consequência, as genuínas, campeiras e antigas Tradições Regionais herdadas dos Antepassados Gaúchos Pampeanos do Rio Grande do Sul!

 

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
07/08/2008 19:06:29 José Itajaú Oleques Teixeira - Guará / DF - Brasil
Prezado Sr. Décio Albino de Oliveira, Presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha. O sítio Bombacha Larga agradece a honrosa visita e as explicações postadas neste espaço cultural tradicionalista gaúcho. Em resposta, continuamos a entender que a previsão das comerciais "gineteadas platinas" no Regulamento Campeiro da CBTG, seja qual for o objetivo da sua inclusão, fere frontalmente a Função Social e a Filosofia Tradicionalista de Atuação do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, representado em nível nacional pela Confederação que V. Sa. ora preside, conforme bem demonstra os dispositivos do Estatuto da Entidade Maior do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro, a CBTG, a seguir expostos: "Art. 1º - A Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, denominada também pela sigla CBTG, é a Entidade Maior do Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro, cuja essencialidade é valorizar, organizar, defender, promover e representar as tradições e a cultura gaúcha;...Art. 3º. - A CBTG tem por fim:... VI. difundir e incentivar, em todo o território nacional, a preservação das tradições gaúchas, bem como as expressões “Movimento Tradicionalista Gaúcho” e “Centro de Tradições Gaúchas” e as siglas MTG e CTG, evitando o uso inadequado das mesmas e sua utilização na denominação de entidades não identificadas com o tradicionalismo gaúcho;...VII. incentivar as tradições gaúchas, traçando diretrizes, rumos e princípios cívico-culturais, artísticos e esportivos ao tradicionalismo gaúcho brasileiro; VIII - orientar as entidades confederadas no sentido de manterem a autenticidade das manifestações gauchescas e a fidelidade às suas origens;... § 2º - Os objetivos da CBTG serão cumpridos em observância dos princípios filosóficos definidos na Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul;...Art. 32 - A Comissão de Ética é um órgão de assessoramento da administração da CBTG, que tem por objetivo coibir condutas sociais em desacordo com os princípios que fundamentam a vivência tradicionalista e, em especial, que firam a Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho;...§ 2º - Compete à Comissão de Ética: a. emitir pareceres sobre condutas sociais dos tradicionalistas, tipificadas como em desacordo com os princípios que fundamentam a vivência tradicionalista;... d. integrar a Convenção Brasileira da Tradição Gaúcha. Portanto, a CBTG e todos os seus Órgãos e Entidades Tradicionalistas filiados devem cumprir e fazer cumprir a Carta de Princípios do MTG Brasileiro organizado, dentre outros postulados os que se seguem:... II - Cultuar e difundir nossa História, nossa formação social, nosso folclore, enfim, nossa Tradição, como substância basilar da nacionalidade;...VI - Preservar o nosso patrimônio sociológico representado, principalmente, pelo linguajar, vestimenta, arte culinária, forma de lides e artes populares;...VII - Fazer de cada CTG um núcleo transmissor da herança social e através da prática e divulgação dos hábitos locais, noção de valores, princípios morais, reações emocionais, etc.;... X - Respeitar e fazer respeitar seus postulados iniciais, que têm como característica essencial a absoluta independência de sectarismos político, religioso e racial; XI - Acatar e respeitar as leis e poderes públicos legalmente constituídos, enquanto se mantiverem dentro dos princípios do regime democrático vigente; XII - Evitar todas as formas de vaidade e personalismo que buscam no Movimento Tradicionalista veículo para projeção em proveito próprio; XIII - Evitar toda e qualquer manifestação em proveito próprio; XIV - Evitar atitudes pessoais ou coletivas que deslustrem e venham em detrimento dos princípios da formação moral do gaúcho;...XVI - Repudiar todas as manifestações e formas negativas de exploração direta ou indireta do Movimento Tradicionalista;...XVIII - Incentivar, em todas as formas de divulgação e propaganda, o uso sadio dos autênticos motivos regionais;...XX - Zelar pela pureza e fidelidade dos nossos costumes autênticos, combatendo todas as manifestações individuais ou coletivas, que artificializem ou descaracterizem as nossas coisas tradicionais;...XXV - Pugnar pela independência psicológica e ideológica do nosso povo; XXVI - Revalidar e reafirmar os valores fundamentais da nossa formação, apontando às novas gerações rumos definidos de cultura, civismo e nacionalidade; XXVII - Procurar o despertamento da consciência para o espírito cívico de unidade e amor à Pátria". Dessa forma, as referidas e comerciais gineteadas, as quais não são tradicionais nem do Uruguai nem da Argentina, por não serem da Tradição dos Gaúchos Campeiros do RS, não respeitarem a Pilcha Gaúcha Oficial do Rio Grande nem a gineteada regional prevista no Regulamento Campeiro do Estado Sulino, jamais poderiam elas fazer parte, nem como “demonstração”, dos Regulamentos dessa Entidade Maior do MTG do Brasil! Saudações Tradicionalistas Gaúchas Brasileiras!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
04/08/2008 00:24:42 Décio Albino de Oliveira - Itapetininga / SP - Brasil
Prezados Senhores Com relação à matéria sobre as gineteadas platinas, informamos que já estavam previstas no Regulamento Campeiro da CBTG como demonstração, e não foram objeto de análise na Convenção de Gravataí em razão da ausência de proposições. De outro lado, informamos ques estas modalidades nunca foram disputadas e nem serão no Rodeio Crioulo Nacional de Campeões até análise em futura Convenção. Saudações tradicionalistas. Décio Albino de Oliveira, Presidente da CBTG
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document