Usuário:
 
  Senha:
 
 

Irmãos Bertussi:
Oh! De Casa, de Honeyde Bertussi
e Adelar Bertussi

 

24/11/2008 12:27:45
O MERCHANDISING, A MÍDIA E AS FRAUDES TRADICIONALISTAS!
 
A Música Tradicionalista Gaúcha exige temas, ritmos e compassos musicais
compatíveis com a moral e os bons costumes da verdadeira Tradição
dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul!
............................................................................

O Patrimônio Cultural Regionalista-tradicional Gaúcho do Rio Grande do Sul pertence não só ao Estado Sulino, mas ao país e todos os brasileiros. É cediço que nem todas as músicas regionalistas gaúchas sul-rio-grandenses ofertadas pelo mercado musical, assim como seus artistas, músicos e bandas, são Tradicionais do RS ou Tradicionalistas. Mesmo assim estes e aquelas são seguidamente reunidos em um único coquetel musical e oferecido ao público em geral como se representassem a antiga e campeira Tradição do Rio Grande; como se fossem ambos Tradicionalistas, isto é, como se pudessem integrar o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Entretanto, ao ser servido, o mesmo apresenta, ao gosto do consumidor tradicionalista gaúcho brasileiro, um sabor característico de bebida falsificada. Em uma única taça ofertam uísque de poucos anos, vinho de qualidade inferior, cachaça da braba, e, por fim, uma graspa velha daquelas de arrepiar o sabugo. Mexem bem e ofertam aos futuros e incautos consumidores, em programas televisivos de relativa audiência, como sendo essa miscelânia mercadista representativa da autêntica Música Tradicional do RS e, portanto, da Música Gaúcha integrante do MTG Brasileiro. No entanto, trata-se esse engodo de mais um merchandisig barato do mercado musical. A convite da mídia televisiva, o que propagandas fraudulentas desse tipo fazem é lesionar o direito que todo o consumidor tem de obter informação compatível com o produto ofertado, o qual, na referida prática, não passa de um logro com objetivo de lucro. Tais expedientes mercadistas, na verdade, servem de uma espécie de muleta para certos músicos que, não sendo tradicionalistas gaúchos, tentam passar ao público consumidor a ideia de que tanto eles como suas músicas são, verdadeiramente, Tradicionais do Rio Grandee, por isso, Tradicionalistasembora seus produtos apresentem a qualidade viciada e o seu consumo, tal como ofertado, inadequado aos fins a que se destinam. Contudo, colocados no costado de outros relativamente tradicionalistas, são eles apresentados tais como as suas gravações musicais, isto é, indevidamente como representantes da genuína e antiga Tradição Campeira do Rio Grande do Sul e com a falsa condição de Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros. Esse processo utilizado é, sem dúvida alguma, fraudulentoum crime praticado contra os direitos do Consumidor Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Ao enfiarem num mesmo saco estilos musicais e modistas totalmente diversos, estão ludibriando, enganando, lesando aos que acreditam ser aquilo Música Gaúcha Tradicional do Rio Grande do Sul ou Música Tradicionalista Gaúcha Brasileira; que aqueles artistas são gaúchos representativos da antiga e campeira Tradição Gaúcha do RS ou Tradicionalistas do MTG Brasileiro. Ora! Um – da música fandangueira gaúcha -, que quando não está ostentando cores berrantes e lenços floriados em sua pilcha, e o ritmo musical acelerado com o batidão da tchê music, até que pode, às vezes, até ser considerado Tradicionalista, ele e a sua música regional gaúcha sul-rio-grandense – desde que não seja aquela que ofende a moral e os bons costumes tradicionais das famílias gaúchas interioranas do Pampa Sul-brasileiro; outro, com calça corrida enfiada, rastra platina com fivela texana, boina colorida importadaque da Tradição do Rio Grande é que não é; um outro vestido como um zorro de luto, contrariando a antiga, regional e campeira Tradição dos Gaúchos Sul-rio-grandenses, os quais sempre usaram as cores pretas nas indumentárias apenas para os casos de pesar pelo passamento de alguém, ambos explorando temas das tascas, dos bailes de chinaredo – temas meretricianos - como se fatos sociológicos e regionais desse tipo pertencessem à antiga Tradição Regional dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasiltoda ela baseada na moralidade e nos bons costumes dos interioranos da Região Pampeana do Rio Grande do Sul; um grupo que, embora no passado tenha honrado a Pilcha Gaúcha de Honra do Rio Grande e a Música Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandensehá muito já atende aos interesses comerciais do globalizado mercado musical, descaracterizado, portanto, nas indumentárias de seus integrantes e no conteúdo moral, no ritmo e no compasso musical, apresentados em seus trabalhos; e um outro, de uma outra moda: a da cinta urbana, da calça cola-fina com alça no cós, do lencito estampado, preto, escondido, virado; da botinha baia à meia-canela, dos coloridos e das músicas fora do conteúdo, do ritmo e do compasso musical da Tradição do Rio Grande, com letras erotizadas, amorais, imorais, ofensivas à moralidade tradicional dos Campeiros do Pampa Sul-rio-grandense, jamais deveriam ser classificados ou apresentados na mídia como Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros. Ou seja, uma miscelânea dessas, com estilos como o tchezinho-urbano, o crioulista-mercosurista, o comercial-nativista e o country-texa-sertanejo, todos reunidos num mesmo e mercadista saco, jamais poderão ser, como fez e faz criminosamente a mídia por influência do mercado musical que a sustenta, classificada nem de Música Regionalista-tradicional Gaúcha Sul-rio-grandense nem de músicos, artistas ou bandas Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros. Essa, naturalmente, é mais uma Fraude Tradicionalistamais uma lesão ao direito do Consumidor Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Propagandas desse tipo, especialmente em um veículo de maior penetração nas massas como é a televisão, conforme o Código de Proteção do Consumidor Brasileiro, devem integrar necessariamente o produto nela ofertado. Pergunta-se: mas este produto, consistente no conjunto das músicas regionais gaúchas do RS e do estilo comercial-modista de seus executores, conforme o exemplo citado, poderia ser tido como um genuíno Produto Tradicional Gaúcho Sul-rio-grandense ou um autêntico Produto Tradicionalista Gaúcho Brasileiro, apto a ser apresentando no Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado? Estaria, em casos como este, sendo atendida a necessária adequação e a exigida qualidade do produto ofertado aos seus eventuais e futuros consumidores? Poderíamos dizer que todas essas Músicas Regionalistas Gaúchas, seus conteúdos, ritmos, compassos e seus executantes são, verdadeiramente, Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros, a exporem corretamente, a preservarem e a divulgarem adequadamente a antiga, típica, regional, campeira e tradicional Pilcha Gaúcha Oficial e de Honra do Estado do Rio Grande do Sul, previsa na legislação estadual e nas Diretrizes do MTG, e a valorizarem a genuína e antiga Tradição Regional do Rio Grande, oriunda dos Gaúchos Campeiros do Pampa Sul-brasileiro? Ou tudo isso não passaria de mais uma das tantas Fraudes Tradicionalistas praticadas por Exploradores da Cultura Regionalista-tradicional do Povo Sul-brasileiro, a ensejar uma ação de reparação por parte dos Cidadãos Tradicionalistas Gaúchos e de todos os demais detentores da Cultura Tradicional Gaúcha Brasileira, em decorrência dos danos morais e materiais a eles causados? Ou, ainda, a propositura de uma Ação Civil Pública, pelo Ministério Público, por atentar tal Fraude Tradicionalista contra um direito e um interesse difuso e público: o Patrimônio Sociológico-tradicional pertencente ao Estado do Rio Grande do Sul, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro?

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
03/03/2009 21:58:34 J. Guilherme - Palmeira das Missões / RS - Brasil
Cada vez que vejo esses "tchezinho", em televisão ou em qualquer outro meio de comunicação, me passa uma grande tristeza em saber que a nossa cultura está sendo banalizada de tal forma. Temos que nos esforçar ao máximo para que isso acabe. "Gauchadas do Rio Grande, vamos nos unir mais um pouco. Não usem bombacha estreita, que isso é traje pra louco; e o chapéu muito pequeno, só serve pra juntá côco" - A Evolução me Entristece, Baitaca.
Sítio: *****
02/12/2008 14:44:12 carlos a. s. costa - mineiros / GO - Brasil
Meus amigos do Bombacha Larga! É um prazer saber que comungamos as mesmas idéias quanto ao atual estágio do MTG; e do "pessoalzinho ordinário", que faz da tradição e dos nossos usos e costumes uma maneira de faturar. Só querem ser identificados como gaúchos na hora de se apresentar e depois... seja o que Deus quiser. Um grande abraço e até de repente!!!
Sítio: http://bethoven-24021949
Listados 2 Comentários!
Untitled Document