Usuário:
 
  Senha:
 
 

João de Almeida Neto:
Vozes Rurais, de João de Almeida Neto

 

14/02/2010 12:52:30
OS ESCLARECIDOS CORRUPTOS DA TRADIÇÃO DO RIO GRANDE!
 
Que gaúchos e gaúchas do Brasil continuem cantando
os sagrados rituais dos galpões do Pampa Sul-rio-grandense!
............................................................................

Se há tanta confusão entre o que é só regional e o que é tradicional na música do meu rincão, essa incompreensão, com o viés distorcido, tem no seu bojo escondido muito interesse pessoal e o espírito comercial do corrupto esclarecido. É o fantoche do mercado sem pátria e sem-fronteira; é a alma interesseira do músico globalizado; é um popstar frustrado a corromper o gauchismo, que com seu maniqueísmo pensa até ter o poder de alterar, subverter, nosso Tradicionalismo. E é o escravo do modismo sem qualquer autonomia, que também quer a anomia de um Tradicionalismo já refém do crioulismo, do mercado mercosul, a poluir no seu paul a nossa Tradição pura, corrompendo a Cultura do Rio Grande do Sul. E é o maula calaveira a serviço do mercado pondo a ética de lado e a honra na lixeira, cuja índole matreira é a da corrupção, com o MTG na mão, ao interesse da moda, desnatura, altera e poda a Gaúcha Tradição. É o músico regionalista com faquinha na barriga, que se alvorota e briga pra ser Tradicionalista, mas que logo dá na vista que há muito não respeita a Tradição que foi feita no seu Pago Sagrado, com rastra, lenço estampado e bombachita estreita. E é o artista popular de gosto purificado pelo fumo do baseado se propondo a levar ao ambiente familiar do Centro de Tradições urbanismos sem padrões, alheios do peão campeiro, aliciando, por dinheiro, juventude e multidões. E é o estelionatário travestido de gaúcho que corrompe, pelo luxo, o ouro do mercenário e a prata do falsário, os usos tradicionais, os costumes de seus pais, a música da Tradição, com artistas que não são gaúchos nem regionais. E é o mercantil tchesista das bandas nacionais, o artista internacional, o comercial nativista, o country-texanista e o cola-fina infeliz, que de boca cheia diz que é gaúcho o seu rock, a corromper, assim, o loque, sua Cultura de Raiz. É o meio musical no seu intuito mafioso, no seu agir criminoso contra o tradicional e o fim institucional de um órgão protetor, na essência preservador da Tradição dos Campeiros Gaúchos Sul-brasileiros, com princípios de valor. Mas nem de pedo é gaúcho o que é só sul-rio-grandense e quem à tradição dispense, no seu agir papelucho, repugnância e chucho ao Regionalismo Campeiro; o xubrega cancioneiro adepto da xenomania, que desrespeita a Filosofia do MTG Brasileiro. Se há tanta confusão entre o que é só regional e o que é tradicional na música do meu rincão, nossos jovens saberão, diante desse desmande, que gaúcho é quem expande, valoriza e repuxa a antiga e Gaúcha Tradição do meu Rio Grande! (Esclarecida Corrupção, de José Itajaú Oleques Teixeira)

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
01/06/2010 14:38:20 jurema Pereira - São Leopoldop / RS - Brasil
Sim, amigos, é triste ver talentos desperdiçados e tantas banalidades sendo aplaudidas. O talento não conta mais, a fibra, a raça, nada disso.. A mídia valoriza o banal, o pornográfico e tal.. Tradicionalismo? O que é isso? Aonde foram parar nossos rodeios, nossas tertúlias ao pé do fogo? Isso não dá midia, não dá vitrine pras estrelas... que se acham...
Sítio: *****
20/02/2010 16:07:39 Ronaldo - Belo Horizonte / MG - Brasil
Parabéns pelo artigo, tinha que ser publicado nos jornais do Rio Grande do Sul em letras garrafais.
Sítio: *****
Listados 2 Comentários!
Untitled Document