Usuário:
 
  Senha:
 
 

José Cláudio Machado e Luiz Marenco:
Mate e cara alegre, de Mauro Moraes

 

24/09/2005 16:02:38
CHIMARRÃO: SANGUE VERDE DOS GAÚCHOS DO RIO GRANDE!
 
Luau Farroupilha 2005, da Associação dos Gaúchos Praianos do Natal-AGPN,
na Praia da Costeira, Natal-RN: o chimarrão ao pé de um fogo de chão!
............................................................................

O chimarrão, um grande patrimônio da Tradição dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul, foi descoberto no atual Estado do Paraná, lá pelos idos do ano de 1554, quando Irala, Governador de Assunção, a capital da colônia espanhola, seguindo para o Leste em busca de riquezas e conquistas de mais terras para Espanha, chegou à região da atual Guaíra. Ali viviam 300.000 índios Guaranis. A hospitalidade dos indígenas impressionou os visitantes, quando os convidaram para tomar uma bebida estimulante, que dava inspiração e proteção, ensinada por Tupã aos Pajés. Consistia o ato em tomar as folhas de uma certa árvore silvestre, fragmentá-las e colocá-las num pequeno porongo junto com água morna, quase quente, chupando a bebida com um canudo de taquara. Um trançado de fibras de cascas e membranas de árvores, na base, impedia a ingestão de partículas das folhas. "Caá", que na linguagem guarani significa erva-mate; e "Caá-y" - a água da erva - é o que hoje chamamos de mate-amargo ou chimarrão. Como curiosidade, o produto da "Illex Paraguariensis", nome cientifico da erva-mate, chegou a ser a moeda corrente no Paraguai. E também já foi a "Erva do Diabo", para os padres Franciscanos da Igreja Católica, no tempo da Inquisição, resultando na "excomunhão" daqueles que se atrevessem a matear. Tudo em vão. A erva-mate acabou descendo para a região do Estado do Rio Grande do Sul. E foi em Imembuí, hoje Santa Maria, que os missioneiros conseguiram o primeiro pé de erva-mate cultivada, sendo o processo natural - com a ingestão das sementes por pássaros, sofrendo metabolismo orgânico -, substituído. A região missioneira, fabricando a erva "caá-mini", chegou ao pó da erva, ocasionando a decadência da "erva-de-paus" do Paraguai. Hoje, o chimarrão é a bebida preferida dos gaúchos. Pode faltar a refeição, mas nunca o chimarrão! No Rio Grande do Sul, a tradição hospitaleira leva todos a receberem os visitantes com um bem cevado chimarrão: o Sangue Verde dos Gaúchos do Rio Grande do Sul! (Fonte: Lamberty, Salvador Ferrando. ABC do Tradicionalismo Gaúcho. Porto alegre: Martins Livreiro-Editor, 1989). A Lei Estadual-RS Nr 11.929, de 20 de junho de 2003, instituiu o chimarrão como a Bebida Símbolo do Estado do Rio Grande do Sul!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
19/06/2008 15:18:56 rogerio freitas - pelotas / RS - Brasil
É bom ter como ver algumas coisas das nossas tradições!
Sítio: *****
16/04/2007 21:40:36 RAÚL CARLOS BRODT - MACEIÓ / AL - Brasil
PARABÉNS! É SEMPRE UM "CARREGAR AS BATERIAS" COM O "SANGUE GAÚCHO" E COM A SEIVA DA MÚSICA DO RIO GRANDE DO SUL. ACEITEM UM FORTE ABRAÇO "QUEBRA-COSTELAS", BEM AO ESTILO GAÚCHO!
Sítio: *****
28/09/2005 20:09:40 José Itajaú Oleques Teixeira
Prezada Prenda Amanda. O sítio Bombacha Larga agradece a tua honrosa visita, o importante registro, a relevante participação e as informações prestadas. Antes de qualquer outra coisa, queremos cumprimentá-la pelo fato de seres uma Prenda Gaúcha! Isso mesmo! Como já explicamos aqui, em matérias anteriores, gaúcho é um "estado de espírito"; uma identificação com o Jeito Gaúcho de Viver. Nesse sentido, muitos dos nascidos no Estado do Rio Grande do Sul não são gaúchos, mas sul-rio-grandenses. Outros, mesmo nascidos fora do Rio Grande, são mais gaúchos que muitos gaúchos e sul-rio-grandenses de nascimento. Assim, estejas certa de que tu és uma Gaúcha, sim! Parabéns! Quanto aos teus pedidos, estaremos enviando os materiais solicitados, de forma gradual e contínua, pelo correio eletrônico. Deixamos a ti e demais integrantes do CTG Querência do Norte, aí de Gurupi-TO, as nossas Saudações Tradicionalistas e o quebra-costelas cinchado do Bombacha Larga!
Sítio: http://www.bombachalarga.com.br
28/09/2005 18:05:17 amanda s. m.
Olá! Eu me chamo Amanda e tenho 12 anos. Não gosto da tradição gaucha, mas, sim, amo-a ... Posso fazer um pedido? Aqui na cidade em que moro, GURUPI-TO, possui um CTG, o Querência do Norte. E eu, que participo da Invernada Artística, queria que na próxima Semana Farropilha vocês viessem aqui, nos dar uma visitinha... E eu queria, também, que voces colocassem no site mais coisas sobre o Sul: tipos de pilchas; músicas para apresentações artísticas; a história e informações de como foi a Guerra dos Farrapos; e alguns vídeos com competições artisticas. Deu para notar que eu sou um pouquinho curiosa, mas o meu pai falou que é assim que tudo começa... Por falar nos meus pais, eles são gaúchos. A minha mãe se chama Sílvia e nasceu em MATA-RS. E o meu pai se chama Helmuth e nasceu em PALMEIRAS DAS MISSÕES. Já eu não sou gaúcha, mas queria muito ser... Comecei a gostar da cultura gaúcha, mais ou menos em março de 2004. A minha mãe e o meu pai fizeram eu ir ensaiar para apresentações, e com isso levei duas primas minhas, a Fernanda e a Luciana, e outro primo, o Leonardo. Pelo visto já estou enjoando vocês, mas falar do Sul é tão bom, principalmente das danças em bailes. O peão que dança comigo nao dança bem, mas tá no rumo... ha!ha!ha! CORDIALMENTE, AMANDA.
Sítio: *****
Listados 4 Comentários!
Untitled Document