Usuário:
 
  Senha:
 
 

João Luiz Corrêa:
Gaiteiro Velho

 

09/10/2005 16:39:24
UM ANTIGO GRITO DE ALERTA GAÚCHO!
 
Desfile Farroupilha 2005, na Primeira Capital Farroupilha: Piratini!
............................................................................

É o cidadão brasileiro o verdadeiro dono da antiga Tradição Gaúcha herdada dos Antepassados Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul. E não é de hoje que a preocupação com essa Maior Riqueza Cultural do Estado e do Povo do Rio Grande do Sul, a sua Tradição Regional, é manifestada. Lúcio Cidade, em 1897, já constatava os males que os exploradores culturais impingiam ao Gauchismo Sul-rio-grandense naquela época. Assim escreveu Lúcio Cidade: "Nas minhas viagens e residências pelo inerior do nosso estado eu hei apurado que os costumes Rio-grandenses que nos tornavam diferentes, que nos enalteciam, vão desaparecendo. Em vez de assimilarmos o estrangeiro que vem às nossas plagas, implantando-lhes os nossos sentimentos, deixamo-nos assimilar por esses e procuramos imitá-los em tudo - de modo que bem nos chamam os nossos vizinhos (os argentinos) de 'macacos'. A viola, a nossa chorosa viola, ao som da qual a poesia popular progredia, se não morreu de todo, agoniza. As histórias da carocha, as lendas do nosso meio, foram substituídas, nas longas noites hibernais, pelo monótono cantar do loto, pelo piano mal tocado, pela conversa política, pelo jogo funesto de cartas e, pior ainda, pela maledicência do próximo. Enfim, todos os bons costumes tradicionais do Rio Grande do Sul têm desaparecido e com eles desaparecerá o nosso caráter de povo altivo, hospitaleiro, franco e leal. Dentro de um século o Rio Grande não será mais reconhecido, devido ao nosso espírito de imitação. Conservemos, melhorando, os nossos costumes, e ensinemos ao estrangeiro a nossa língua, as nossas danças e festas, os nossos hábitos guerreiros e altivos e, sobretudo, os nossos costumes hospitaleiros e morais" (Um Grito de Alerta. Lúcio Cidade, 1897. Almanaque dos Gaúchos, n. 1, 2. semestre de 1997 - Ed. Martins Livreiro: Porto Alegre, p. 21). Pois bem! O Grupo dos Oito jovens tradicionalistas, em 1947, reagiu e venceu a luta contra as imposições culturais alienígenas, organizando um Movimento Cultural no sentido de defender as antigas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul desses e de outros interesses mercadistas. Hoje, passado mais de um século do artigo de Lúcio Cidade, o que presenciamos? Um Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro mais próximo dos interesses político-partidários e dos mercados sem fronteiras do que da própria Identidade Cultural Regionalista-tradicional do Povo Gaúcho Brasileiro. Certamente, muitos estão a locupletar-se às custas dos recursos públicos destinados à Cultura Regional que deveriam cultuar, defender, preservar e corretamente divulgar. Porém, contrariando os deveres que institucional e moralmente estariam obrigados a cumprir e a fazer cumprir, e embasados em interesses inconfessáveis, estão eles a modificar, substituir, importar, destruir, integrar, corromper a autenticidade das Tradições Gaúchas do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul; e a Filosofia de Atuação Cultural do próprio Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro. Em decorrência disso, para o MRTGB - Movimento de Reação dos Tradicionalistas Gaúchos do Brasil não há outra solução senão aquela mesma reação do Grupo dos Oito, nos idos de 1947. A Cidadania Tradicionalista deve ser exercida pelos verdadeiros donos, de fato e de direito, desse Patrimônio Cultural Sul-riograndense, porquanto todo o cidadão brasileiro, tradicionalista ou não, é o verdadeiro detentor dessa riqueza cultural regionalista gaúcha herdada dos antepassados do Pampa do Rio Grande do Sul; da antiga, da autêntica Tradição Regional dos Gaúchos Pampeanos do Sul do Brasil!

............................................................................
 
 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
NENHUM COMENTÁRIO ATÉ O PRESENTE MOMENTO!
Untitled Document