Usuário:
 
  Senha:
 
 

CTG Bento Gonçalves:
Rio Grande Gaúcho

 

28/12/2007 15:59:00
A HISTÓRIA DA FORMAÇÃO TERRITORIAL DO RIO GRANDE DO SUL!
............................................................................
Prezados visitantes! Cultuar e difundir nossa História, nossa formação social, nosso folclore, enfim, nossa Tradição, como substância basilar da nacionalidade é um dos objetivos da Filosofia Tradicionalista Gaúcha Brasileira, previsto no artigo 2º da Carta de Princípios do MTG. Dessa forma, conhecer, valorizar e cultuar a História do Rio Grande do Sul é um dever não só de todo e qualquer cidadão, mas principalmente do Tradicionalista Gaúcho. E nessas análises históricas devem ser evitadas as costumeiras confusões existentes entre a formação do território, a do povo gaúcho sul-brasileiro e a formação do atual povo sul-rio-grandense. Portanto, não devemos esquecer que: a) quem conquistou o território do atual Rio Grande, por motivos óbvios, foram, principalmente, os portugueses, açorianos e luso-brasileiros-açorianos; b) que o povo gaúcho sul-brasileiro – aquele que surgiu da lida campeira com o gado, na região do Pampa Gaúcho Brasileiro – foi formado por três troncos étnicos principais: 1) portugueses, luso-açorianos, luso-brasileiros; 2) índios; e 3) negros; c) que, portanto, quando da chegada dos primeiros imigrantes europeus, no Brasil Império, como os alemães, em 1824, o gaúcho sul-brasileiro já estava formado e, com ele, os seus usos e costumes tradicionais; as suas Tradições de origem campeira, forjadas na lida com gado e cavalos; d) que o Folclore Gaúcho Brasileiro sofreu, inevitavelmente, uma maior influência dos formadores principais do território e do povo gaúcho brasileiro – portugueses, açorianos, luso-brasileiros, índios e negros -, sendo complementado com a contribuição dos vizinhos fronteiriços platinos e dos inúmeros imigrantes do Rio Grande, seja nas áreas da culinária, da religião e muitas outras. Contudo, quanto às tradições gaúchas campeiras, estas é que foram sendo repassadas aos que se achegaram ao Sul do Brasil e formaram, não o povo gaúcho – no sentido estrito do termo, já formado, mas o povo sul-rio-grandense; e) que o termo “gaúcho” só recentemente fora aceito e expandido ao restante do atual Estado do RS, o que não significa que todos os habitantes do Estado tenham o “espírito do gaúcho campeiro”, que tenham afinidade com a cultural regional do interior; que sejam tidos como verdadeiros gaúchos. Naturalmente que quem é verdadeiramente um gaúcho brasileiro valoriza a sua História, a sua Tradição, os seus vultos e monumentos históricos, por uma questão de coerência cultural regional e de nacionalidade; telurismo, nativismo e gauchismo sul-brasileiro!
............................................................................
Untitled Document