Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Filhos do Rio Grande:
Cheiro do Rio Grande,
de Darci Lopes

 

19/02/2008 11:31:39
VEJAS, NOVAMENTE, UM AUTÊNTICO RODEIO DOS GAUCHOS URUGUAIOS!
............................................................................
"Mais apertada que bombacha de fresco!". Este não é um adágio do Bombacha Larga, mas um ditado mais antigo que andar a pé; do tempo em que gaúcho honrava a sua tradição e respeitava os seus usos e costumes regionais, tal qual esses uruguaios do filme. E é desde muito que um xiru não pode ficar apertado em bombachas, especialmente no Uruguai e na região da Fronteira sul-rio-grandense, pois aquelas são, por força de sua etimologia, um tipo de calças largas, não essas bombachitas que os “assassinos culturais” empurram aos “modistas” do nosso Rio Grande do Sul. Mas o referido adágio não foi construído sem qualquer fundamento. Que um xiru velho espremido em uma calça justa fica lá meio esquisito, meio abichado, ah isso lá fica, mesmo.... É a sabedoria campeira expressada em uma simples frase, mas que revela muito mais do que meras palavras. A atual moda “sem-fronteiras” que o "mercado mercosur" vem impondo a todos – brasileiros, uruguaios e argentinos - por intermédio do meio artístico – este sem qualquer compromisso cultural, mas unicamente a visar os seus interesses econômico-financeiros, os seus contratos, onde a música regional e a indumentária das griffes enterram usos e costumes regionais – tenta, estreitando a bombacha, aumentar a sua venda entre aqueles que ainda sentem vergonha em ostentar a legítima e larga indumentária do gaúcho, assim como tentam substituir, e com a leniência criminosa do próprio MTG/RS - que já autoriza as prendas a visitarem escolas trajando bombachas femininas, como se lá elas fossem participar de uma prova campeira de um Rodeio Crioulo -, a histórica e tradicional indumentária do mulher gaúcha – o Vestido de Prenda – por uma pilcha que é essencialmente masculina: a bombacha. Quanto à bombacha extremamente estreita, esta continuará, enquanto vigorar, com a pecha que o citado adágio atribui, desde muito, ao seu usuário. E se por ventura algum desses não gostar, que reclame da Tradição do Rio Grande, já tão vilipendiada pela ação nociva dos “exploradores da cultura dos gaúchos brasileiros”. E nunca é demais relembrar que: "gauchos" uruguaios, tradicionalmente, usam a bombacha larga, tal qual os gaúchos da Fronteira sul-rio-grandense; que a cor preta da indumentária dos "gauchos" argentinos e uruguaios não é, por tradição, utilizada pelos gaúchos sul-rio-grandenses, a não ser nos casos de luto; que o gaúcho do Rio Grande não usa indumentária de cores fortes, como o vermelhão, azulão, verdão, amarelão ou pastelão, pois tradicionalmente sempre foi recatado e comedido, preferindo as cores sóbrias e claras; que a rastra é cinturão dos platinos; que cinto não é peça da indumentária tradicional dos gaúchos brasileiros, mas a guaiaca sim; que o lenço de pescoço dos "gauchos" – uruguaios ou argentinos – pode ser usado nas cores preta, estampadas e em tamanhos curtos, enquanto que no Rio Grande do Sul, por conta da sua História, temos os nossos próprios usos e costumes, não fazendo parte de nossa Tradição os lenços floriados, pretos, curtos; que o chapéu que os artistas griffeiros tentam empurrar aos modistas da tradição nada tem a ver com o nosso tradicional chapéu, o qual, na Fronteira, é idêntico a esse que os uruguaios ostentam no filme, e que deveriam, em respeito às suas Tradições de "Gauchos" Uruguaios, continuar ostentando nos dias de hoje; que a faca, no Uruguai como na Fronteira Gaúcha Brasileira, sempre foi e deve continuar sendo usada nas costas, e não como alguns incautos da Fronteira o fazem, levando-a do lado, imitando um uso que é próprio dos gaúchos da Região Serrana do Rio Grande do Sul. Enfim, Tradição é continuidade, não invenção; preservação, não exploração; consciência cultural, não sujeição comercial; e modificalismo, modismo, mercadismo, não é tradicionalismo. Que os tradicionalistas não se achiquem frente a esses interesses escusos de um mercado sem qualquer escrúpulo cultural; às impropriedades, incoerências culturais, falsidades e má-fé dos pseudosgaúchos e falsos tradicionalistas; da conduta aética de certos atores da mídia; da conduta criminosa desses inúmeros corruptores da cultura do Povo Gaúcho Sul-brasileiro! (Adágios Gaúchos: http://www.bilibio.com.br/frases.php?tipofrase=GAU htttp://www.invernadadeguapos.hpg.ig.com.br/linguagem/adagios.htm#M http://www.portalgaucho.com.br/?pg=2&start=90) Obs.: aguardes baixar totalmente o vídeo... Para vê-lo novamente, tecles F5. E não esqueças de parar o som desta página...
............................................................................
Untitled Document