Usuário:
 
  Senha:
 
 

Walther Morais:
Pra ser feliz no Sul

 

13/03/2013 11:38:18
A 20a FESTA CAMPEIRA DO RIO GRANDE DO SUL, DE GRAVATAÍ!
............................................................................
É de se observar que: 1) o Regulamento da 20ª FECARS, no seu art. 144, estabelecia que a Comissão Executiva da fase final estava constituída dos seguintes órgãos: I -Movimento Tradicionalista Gaúcho; II - Fundação Cultural Gaúcha-MTG; III - Região Tradicionalista e suas entidades filiadas; IV - Outras entidades públicas ou privadas, a critério do Presidente do MTG; 2) que, conforme as informações disponibilizadas no sítio da Prefeitura de Gravataí, a 20a Festa Campeira do RS era uma realização daquele órgão executivo municipal, por meio de sua Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET), e pelo MTG, o que nos leva a crer que os interesses econômicos, financeiros, turísticos, político-eleitoreiros, estiveram sobrepondo-se aos interesses culturais, regionalista-tradicionais sul-rio-grandenses e Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros nesse Evento da Tradição do Rio Grande do Sul; 3) que a 20a Festa Campeira do RS contaria, naquele ano, com uma novidade em relação às competições, apresentando o Laço Narrador como nova prova, na qual competiriam os responsáveis pela narração de eventos tradicionalistas do Estado; entretanto, essa prova não se encontra prevista no Regulamento do referido Evento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro; 4) naturalmente que deveria haver, como é de costume na maioria dos Eventos Tradicionalistas Gaúchos, um Fandango Gaúcho Tradicionalista; pergunta-se: quais foram os artistas "gaúchos" e as "bandas" musicais tradicionalistas que tocaram nesse ou nos supostos Bailes Tradicionalistas da 20a FECARS? Por que a programação daquele Evento Tradicionalista, divulgada no sítio do MTG/RS, não trouxe essa informação ao público em geral? Os gaúchos brasileiros, especialmente os Tradicionalistas, não teriam o direito à informação completa e fidedigna de todas as atividades desenvolvidas nesse Evento Tradicionalista representativo do Patrimônio Sociológico-tradicional do Estado e do Povo Gaúcho do Rio Grande do Sul, de uma Tradição pertencente ao Estado Sulino, aos Sul-rio-grandenses, ao Brasil e a todo o Povo Brasileiro? 5) um Evento Tradicionalista, normalmente com incentivo da LIC - e, portanto, com recursos do povo - mesmo com o natural apoio de um órgão público (envolvendo recurso também públicos), não deveria ser organizado somente por Tradicionalistas do MTG/RS, em vez de o ser pela Prefeitura de Gravataí, órgão político não integrante do MTG/RS e sem a competência institucional para a execução de tal ato? 6) a Convenção da Tradição Gaúcha Brasileira, da CBTG, também prevista para ser realizada em Gravataí, teria sido, também, organizada por aquele órgão público municipal? 7) a excrescência do uso de touro mecânico em uma Festa Campeira do Rio Grande do Sul era de ser antecipadamente prevista como o resultado de uma organização capitaneada por um órgão político e seus inafastáveis objetivos eleitoreiros?; foi assim que o MTG Brasileiro organizado do Estado do RS cumpriu os seus fins culturais naquele Evento Tradicionalista Gaúcho? Foi dessa forma que os fins regulamentares da FECARS foram atingidos, formando crianças na arte de montar em touro, prática que nunca foi e nunca será dos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul? Ou, por acaso, foi novamente o mercado "country-texa-barretano" invadindo, com suas camisas vermelhas, chapéus claros, chaparral, seus touros e sua música, a consciência dos "Tradicionalistas Gaúchos Brasileiros" de um MTG aviltado, submisso e submetido a interesses que na verdade nunca foram, não são e jamais poderão ser "Tradicionalistas", mas meramente mercadistas, eleitoreiros e de toda a ordem, e sem qualquer compromisso com a Filosofia de Atuação da esquecida, pisoteada, esfarrapada em tiras Carta de Princípios do MTG Brasileiro... É uma barbaridade, chê, o que fazem esses "assassinos culturais" com a autenticidade da Tradição Regional dos Gaúchos Campeiros do Pampa do Rio Grande do Sul! Lastimável essa conduta de quem deveria estar culturando, preservando e corretamente divulgando o Patrimônio Cultural Regionalista-tradicional de nosso Pago Sul-brasileiro! Até quando??? Pergunta-se, ainda: por que Soberanas de saia levantada e chapéu na cabeça em Festa do Chimarrão na maior Festa Campeira do Rio Grande do Sul? Por que não Prendas Gaúchas da Tradição de nosso Estado Sulino? Esses são os resultados da terceirização dos Eventos do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro! É uma barbaridade, chê! Uma vergonhosa Corrupção Cultural! (Notícia publicada anteriormente aos 13.03.2008 e republicada aos 13.03.1010 e 25.03.2011)
............................................................................
Untitled Document