Usuário:
 
  Senha:
 
 

João Luiz Corrêa:
Mesclas de Gaúcho

 

09/12/2008 15:40:36
TRADICIONALISMO? OU MODISMO, COMERCIALISMO, DETURPISMO?
............................................................................
A quem costuma confundir, propositalmente ou não, TRADICIONALISMO GAÚCHO com interesses meramente comerciais de empresas do ramo do entretenimento, antigamente intituladas de Conjuntos, depois Grupos Musicais e, hoje, na sua grande maioria , simplesmente de "Bandas", explicamos que: 1) GAUCHISMO não é sinônimo de TRADICIONALISMO; 2) não é TRADICIONALISTA quem, por motivos de comércio, não respeita a Filosofia do Tradicionalismo, de preservação da autenticidade das Tradições dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul, especialmente quanto à indumentária regional, a Pilcha Gaúcha Tradicional dos Campeiros Sul-rio-grandenses, o seu compasso musical e os seus ritmos regionalistas e tradicionais; 3) TRADICIONALISMO envolve, necessariamente, a consciência de culto, defesa, preservação e correta divulgação da Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul, e não a sua deturpação, desnaturação, descaracterização, enfim, a sua corrupção cultural, decorrente de tais assassinatos culturais regionalistas; 4) COMERCIALISMO não é TRADICIONALISMO, pois este não possui, finalisticamente, fins lucrativos; 5) TRADICIONALISMO não abarca os MODISMOS - musicais e das griffes -, pois a lógica deste último é a "lógica de mercado", e a do TRADICIONALISMO é a de preservação do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense, das autênticas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul e dos postulados culturais, sociais, morais e filosóficos da sua Carta de Princípios; 6) portanto, em não havendo o devido respeito ao verdadeiro Patrimônio Sociológico Tradicional Sul-rio-grandense, às Diretrizes Culturais baseadas no Folclore do Rio Grande do Sul, à autenticidade da Pilcha Gaúcha Brasileira, composta da guaiaca, da bombacha regionalista, do lenço histórico do Estado Garrão do Brasil, das cores sóbrias das camisas e, dentre outros aspectos tradicionais, do chapéu da Tradição dos Campeiros Sul-brasileiros, não há que se falar de TRADICIONALISMO, mas tão-somente de um possível MODISMO, de um suspeito COMERCIALISMO e até de um muito provável DETURPISMO, neologismo este usado aqui para designar o sistema que desfigura, que estraga, que corrompe, que vicia ou torna feio a Bela Tradição Gaúcha do Povo Gaúcho Sul-brasileiro!
............................................................................
Untitled Document