Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Filhos do Rio Grande:
Cheiro do Rio Grande,
de Darci Lopes

 

27/02/2009 18:37:07
A MANIFESTAÇÃO CONTRA O RODEIO DE JAGUARIÚNA-SP!
............................................................................
Assim como essas manifestações, realizadas contra o Rodeio de Jaguariúna, região metropolitana de Campinas-SP - intitulado como o Maior Rodeio Country do Brasil -, também o Povo Sul-rio-grandense deveria protestar contra os desrespeitos à LEI ESTADUAL DE RODEIOS DO RIO GRANDE DO SUL - LEI Nº 11.719, de 07 de janeiro de 2002, a qual instituiu oficialmente o Rodeio Crioulo Gaúcho como um dos componentes da Cultura Popular Sul-rio-grandense -, e que alterada pela LEI Nº 12.567, de 13 de julho de 2006, estabelece que "entende-se como rodeio crioulo o evento que envolve animais nas atividades de montaria, provas de laço, gineteadas, pealo, chasque, cura de terneiro, provas de rédeas e outras provas típicas da tradição gaúcha, nas quais são avaliadas a habilidade do homem e o desempenho do animal" (Art 1., Parágrafo Único); que "a encilha e demais peças utilizadas nas montarias, bem como as características do arreamento, não poderão causar injúrias ou ferimentos aos animais, devendo-se observar as diretrizes do Movimento Tradicionalista Gaúcho - MTG -, obedecer às regras internacionalmente aceitas e respeitar a tradição gaúcha" (Art. 1º-C); que "as cintas, as cilhas e as barrigueiras deverão ser confeccionadas em lã natural ou em couro, com dimensões adequadas para garantir o conforto dos animais" (§ 1º); que "fica expressamente proibido o uso de esporas com rosetas pontiagudas, nazarenas, ou qualquer outro instrumento que cause ferimento nos animais, incluindo aparelhos que provoquem choques elétricos" (§ 2º ); que "os laços utilizados deverão ser confeccionados em couro trançado, sendo proibido o ato de soquear o animal laçado (§ 3º ); que "nas provas do pealo e da cura de terneiro, a derrubada do animal deverá ser feita nas formas tradicionais, evitando-se ferimento nos animais" (§ 4º). O Povo Sul-rio-grandense, ainda, no exercício pleno da sua cidadania, deveria, igualmente, cobrar dos legisladores estaduais a aprovação do regulamento da referida Lei, previsto no seu Art. 1º-F, com as previsões das sanções pertinentes aos atos infratores, sob pena de continuar a ineficácia da referida Lei, por não punir aos que infringem os seus dispositivos. E os Tradicionalistas Gaúchos do Rio Grande, diante dessa legislação de seu Estado, deveriam dizer não às gineteadas platinas "garupa sureña", "basto aberto" e a outras que se utilizam de sedéns que apertam os animais, ensejando com isso a prática do crime de maus tratos previsto no Ordenamento Jurídico Brasileiro, e exigir desses comercialistas o devido respeito às Leis e à Cultura Regional dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul! Obs.:Conheças os argumentos do MPSP na Ação Civil Pública ajuizada contra a Prefeitura Municipal e o Clube do Cavalo de Jaguariúna-SP, no endereço eletrônico a seguir: http://www.forumnacional.com.br/jaguariuna_rodeo_festival_jaguariuna_2003.pdf
............................................................................
Untitled Document