Usuário:
 
  Senha:
 
 

Conjunto Farroupilha:
Chimarrita

 

16/11/2007 13:03:51
ORAÇÃO DO GAÚCHO
............................................................................
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e com licença do Patrão Celestial. 
Vou chegando, enquanto cevo o amargo de minhas confidências,
porque ao romper da madrugada e ao descambar do sol, preciso camperear
por outras invernadas e repontar do Céu a força e a coragem para o entrevero do dia que passa.
 
Eu bem sei que qualquer guasca, bem pilchado, de faca, rebenque e esporas,
não se afirma nos arreios da vida se não se estriba na proteção do Céu.
 
Ouve, Patrão Celeste, a oração que te faço, ao romper da madrugada e ao descambar do sol:
 
Tomara que todo o mundo seja como irmão! Ajuda-me a perdoar as afrontas e não fazer
aos outros o que não quero para mim.
 
Perdoa-me, Senhor, porque rengueando pelas canhadas da fraqueza humana, de quando em vez,
quase se querer, eu me solto porteira a fora...
Êta potrilho chucro, renegado e caborteiro... mas eu te garanto, meu Senhor,
quero ser bom e direito!
 
Ajuda-me, Virgem Maria, Primeira Prenda do Céu. Socorre-me, São Pedro,
Capataz da Estância Gaúcha. Pra fim de conversa, vou te dizer meu Deus,
mas somente pra ti, que tua vontade leve a minha de cabresto pra todo o sempre
e até a querência do Céu! Amém!
............................................................................
  Autor: D. Luiz Felipe de Nadal
Poesia enviada Por: Flavio Rasia Filho - Caxias do Sul / RS
  Observações: D. Luiz Felipe de Nadal foi Bispo de Uruguaiana.

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
20/04/2008 10:21:54 airton santos paes - laranjal / PR - Brasil
Uma das melhores mensagens pampeanas.
Sítio: *****
06/04/2008 20:24:51 jones - bituruna / PR - Brasil
Esta poesia é demais! Pena que não é possível enviar ela para os amigos...
Sítio: *****
Untitled Document