Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Monarcas:
Prece Telúrica, de Arabi Rodrigues
e Luis C. Lanfredi

 

23/12/2007 18:02:18
PELEANDO CONTRA O TEMPO
............................................................................

Paulo Moacir Ferreira Bambil

 
AO CANDEEIRO FALTOU QUEROSENE
SE AO MENOS SEBO TIVESSE
E QUANDO ISSO ACONTECE
JÁ QUEBRARAM AS LAMPARINAS
ACENDEU-SE VELAS DE PARAFINA
POLUINDO MAIS O AMBIENTE
SANGAS QUE AINDA SÃO PERENES
CONTAMINAM AS MÃOS DA GENTE
ANTES QUE ALGUÉM TE CONDENE
DÊ-ME UMA SOLUÇÃO DIFERENTE.
 
O IMPORTANTE NÃO É A VASILHA
E SIM O QUE TEM DENTRO DELA
SE TU OLHAR ATRAVÉS DA JANELA
DE UM GALPÃO ABANDONADO
SEMPRE EXISTIRÁ UM PASSADO
IMAGINANDO UMA NOITE FRIA
ONDE ESTE SERVIU DE ABRIGO
SEM SABER O QUE ALI HAVIA
CERTAMENTE O CATRE ANTIGO
NESSE CASO TEM SERVENTIA.
 
DESPOJADO DE TODA CIÊNCIA
NOS RESQUÍCIOS DE ANTANHO
REUNINDO TROPILHA E REBANHO
SINTO O PULSO RUDE DO PAMPA
O GAÚCHO EM SUA ESTAMPA
PÁRA-RODEIO NA CONSCIÊNCIA
COMO UM MONGE NUM RETIRO
É UM GURI SEM EXPERIÊNCIA
SE PERDE NUM LONGO SUSPIRO
CONTEMPLANDO A QUERÊNCIA.
 
ARRASTANDO MINHAS CHILENAS
INDO EM DIREÇÃO AO RANCHO
DE REPENTE ME ENGANCHO
NUMA PIOLA PERTO DO DIQUE
DIZ-QUE É O TAL DE JOYSTICK
PEDI PROTEÇÃO AO MECENAS
PARA NÃO PERDER O ENFOQUE
PASSANDO OS DEDOS NA MELENA
LEMBREI-ME DO MEU BODOQUE
A EVOLUÇÃO ASSIM ME CONDENA.
 
DENTRO DO CASARÃO TAPERA
AINDA RESISTE A CRISTALEIRA
UMA MESA DE MADEIRA
MEIO CAPENGA DAS PERNAS
CERTEZA NÃO SÃO MODERNAS
A TÚIA... JÁ VIROU QUIRERA
CARCOMIDA PELOS CUPINS
NAQUELE SONHO DE QUIMERA
ÍNDIOS XIRUS E OS CURUMINS
VIAM RETA VIRAR PORTELA.
 
EU NÃO VOU ME ENTREGAR
NÃO FUI PARIDO DE SUSTO
NAS TARCAS VIREI AUGUSTO
MAS LEVEI UNS MANOTAÇOS
DA PICANA EU FIZ COMPASSO
BATUTEANDO O CARRETEAR
SEGUREI FIRME A REGERA
SENTINDO O TEMPO RODAR
MADRUGADAS SEM A BOIEIRA
A TRADIÇÃO COMEÇA AGONIZAR.
 
ESTOU JUNTANDO FRAGMENTOS
DE UM FILME DE ATAVISMOS
PASSAM ATOS DE HEROÍSMOS
ADONDE TAURAS VALENTES
SÉRIE EM EPOPÉIAS ARDENTES
SEM RECUAR UM SÓ MOMENTO
MANTIVERAM ACESA A CHAMA
PELEANDO ATRAVÉS DOS TEMPOS
EM CIMA DE SUAS BADANAS
TRANÇANDO OS PENSAMENTOS.
 
NÃO QUIS AMEALHAR MAIS NADA
E QUANDO VOLVI PARA TRÁS
BUENO! ERA TARDE DEMAIS
SENTI UM APERTO NO PEITO
QUE FIQUEI MEIO SEM JEITO
O PAMPA TODO ERA ESTRADA
FLEXILHAS VIRARAM CONCRETO
VI ENTREVEROS DA PEONADA
DE DOUTORES E ANALFABETOS
DESISTI DA MINHA JORNADA!
............................................................................
  Autor: Paulo Moacir Ferreira Bambil
Poesia enviada Por: Paulo Moacir Ferreira Bambil - Brasília / DF
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
13/02/2011 01:41:58 Àgatha Seabra - Viamão / RS - Brasil
Eu achei muito liinda! Parabéns ao autor. Quem quiser me add agathaseabra@gmail.com. Beijos a todos!
Sítio: *****
Untitled Document