Usuário:
 
  Senha:
 
 

Grupo Rodeio:
Deus Gaúcho, de Régis Marques

 

24/12/2007 20:32:02
OS PRIMEIROS VERSOS DE AMOR À TERRA
............................................................................
Olhe!...
Olhe pra mim
- não como se eu fosse
 um malmequer ou uma mulher,
que bem te quer!...
...e inspira o poeta e o cantor!
 
Olhe pra mim,
como se você ainda fosse criança
e tivesse essa esperança,
que envolve a minha mente
e a minha alma em flor!...
 
Porque no meu interior,
sob esse vestido simples,
que já não é de chita,
há um coração de mulher, bonita!...
 
E pouco importa a minha descendência
(se européia, castelhana ou guarani)...
O importante é que nas minhas veias,
nas minhas pequenas mas ardentes veias,
corre um sangue em liberdade...
É o sangue do sangue, que vem de ti...
E traz em si um ideal de paz
e o mesmo anseio de felicidade...
 
Sim!... O ideal é o mesmo!...
Se o tempo é outro, o problema é do tempo...
...e, dos relógios de areia, que parecem
cansados de ver o tempo passar.
Eu... Eu não canso dessa vida devagar!...
Aliás, eu recém entrei no palco da Vida,
e mal sei ler, escrever... e falar.
 
Mas sei decorar
e expressa, num poema,
todo o amor pela minha Terra...
E me fiz flor das mais velhas raízes,
das cicatrizes da guerra...
 
Eu sei que não sou Anita,
a Cabo Toco, Ana Terra ou Bibiana Cambará.
Por isso, não me olhem como se eu fosse
 uma heroína. Mas olhem pra mim
como se eu fosse uma pequena flor,
a mais simples flor campesina!...
...que traz em si a essência da Querência,
e, a consciência de que o Tempo 
há de me tornar Mulher!...
 
Mulher simples!...
Porque as coisas mais simples 
são mais belas!...
Que as estrelas mais brilhantes
são aquelas que estão além do nosso olhar,
numa aquarela que ninguém pode comprar!...
 
É assim que quero ser quando crescer:
Uma mulher, simples! Capaz de sonhar
e, lançar na terra uma semente de sonho!...
Porque a terra é fértil..
Porque traz em si a força da fé 
e, o mistério da criação
- capaz de transformar uma semente
num poema de amor á Terra...
...que é terapia para o corpo...
...energia para o coração...
...e, pão para a alma de quem é livre
e ama, profundamente, esse Chão!...
............................................................................
  Autor: Júlio César Paim
Poesia enviada Por: Duda Stefanescu - São José dos Campos / SP
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
11/11/2008 10:49:34 ana paula - sao luis / MA - Brasil
esse poema é cafona de +++++++++++++++
Sítio: *****
04/05/2008 20:53:43 natalia - candiota / RS - Brasil
Adoro "Os primeiros versos de amor à terra". Declamei-a muito tempo. Se pudesse, seguiria declamando. Conquistei vários títulos com ela!!!
Sítio: *****
15/04/2008 15:41:39 Cristiane Klein - São Vendelino / RS - Brasil
Achei muito bonita a poesia "Os primeiros versos de amor e terra"!!!
Sítio: *****
Untitled Document