Usuário:
 
  Senha:
 
 

Baitaca:
No meio dos Quatro Ventos

 

24/03/2008 13:27:35
SENTIMENTO GAUDÉRIO
............................................................................

Nos campos desta querência

Sovei pelegos e arreio

Pingo mascando o freio

De confiança e bem domado

Sempre fazendo um costado

De qualquer pêlo me agrada

Mas sou dono da parada

Num zaino negro ou tostado.

 

No falquejo das distâncias

Corto rumos na invernada

Eu mesmo que invento a estrada

Pois tenho tempo e cavalo

O que pra mim é um regalo

Talvez pra outros nem tanto

Mas por aí não me espanto

E nunca perco o embalo.

 

A minha alma é curtida

De sol quente e ventania

Mostra ao mundo a rebeldia

De um tigre que não se amansa

Peso a vida na balança

E sei o quanto ela vale

Mas que nunca me embuçale

Pois sou o dono da trança.

 

Levanto junto com o dia

Quando o sol sangra o nascente

Não me sinto diferente

De muitos outros paisanos

Fui curtido pelos anos

Na lida bruta do campo

Se cair sei que levanto

Pois não creio em desenganos.

 

Rédea na mão eu apeio

Na beira de alguma aguada

A não ser pra uma pousada

Quase nunca desencilho

Faço parte do lombilho

Ele faz parte de mim

Se a querência quis assim

Eu sigo firme no trilho.

 

Com mormaço busco a sombra

Junto a algum capão de mato

Então, a idéia xucra eu desato

Porque sempre anda nos tentos

Sai livre toreando os ventos

Prenunciando madrugadas

Trazendo as rimas pealadas

Nas voltas do pensamento.

 

Volteando tropas na idéias

Por vezes me paro quieto

Depois solto meu dialeto

Buscando por melodia

Sempre tive esta mania

De cantar a minha terra

E o verso é um touro que berra

Em forma de poesia.

 

A rima salta floreada

Com alma, corpo e coração

Vai esporeando a emoção

Deste xucro pensamento

A inspiração do momento

Chega de causo pensado

Trazendo o pago enraizado

Num manancial de sentimentos.

 

Nos rodeios desta vida

Por onde tenho cruzado

Falo em presente e passado

E de um futuro consciente

Trago raiz, cerne e semente

E a pura essência dos campos

Na minha voz, rimas e cantos

Pra minha terra e minha gente!

............................................................................
  Autor: Jorge Lima
Poesia enviada Por: Jorge Lima - São Miguel das Missões / RS
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document