Usuário:
 
  Senha:
 
 

Miguel Marques:
Alma de Campeiro

 

27/03/2008 10:10:00
RIO GRANDE SAGRADO
............................................................................

Jurema chaves

 

As nuvens passam depressa,

Empurradas pelo vento,

Igual ao meu pensamento,

Na tropilha da ilusão:

Cantar em versos meu chão,

O velho pago de Bento.

 

Cantar a verde coxilha

Coberta de um céu anil,

Pedaço do meu Brasil,

A minha amada querência,

Cantando com eloqüência

Minha terra varonil.

 

A honra e o estoicismo

Desse meu pago altaneiro,

Meu pampa sul-brasileiro

De bravuras e heroísmo,

O amor ao nativismo

De um gaúcho campeiro.

 

A galopar nas coxilhas,

De laço preso nos tentos,

O pala voando ao vento,

Chapéu preso ao barbicacho...

Um índio simples, buenacho,

Gaúcho cento por cento!

............................................................................
  Autor: Jurema Chaves
Poesia enviada Por: Jurema Chaves - São Leopoldo / RS
  Observações: Do Livro CIRANDA DE VERSOS, da autora.

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document