Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Filhos do Rio Grande:
Cheiro do Rio Grande,
de Darci Lopes

 

05/04/2008 01:19:18
HERANÇA DE RAÇAS
............................................................................

Hei de sempre me orgulhar

das tradições do meu Pago,

pois das origens que trago

tenho bem firme as raízes;

nos olhos trago uns matizes,

um quê de céu europeu,

que pelo mar se estendeu,

nos olhos do imigrante,

pra chegar até aqui.

E ao chegar,

no mesmo instante,

enamorado abraçou-se

com esta Terra Guarani.

O céu e a terra se uniram

na linha do horizonte...

E, pelos vales e montes,

a semente de além-mar

veio, por fim, germinar

no ventre da pampa nua.

E a pampa, índia charrua,

na sua fertilidade,

gerou frutos de qualidade...

Pariu uma raça altaneira:

olhos de céu, pele trigueira,

que faz da tenacidade,

coragem e liberdade,

o seu mais forte ideal.

E um orgulho sem igual,

que de cada alma se expande!

Isto é a herança das raças,

que se reflete na graça

e na beleza das crianças;

reflete-se na esperança,

no trabalho, na cultura,

no respeito à criatura,

que é obra da criação.

É o churrasco, é o chimarrão,

é a hospitalidade...

Viver com dignidade,

é o referencial do gaúcho,

por qualquer lugar que ande;

é ter garbo sem ter luxo,

é a alma do Rio Grande!

............................................................................
  Autor: Zulma T. de Bem
Poesia enviada Por: Zulma T. de Bem - Novo Hamburgo / RS
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document