Usuário:
 
  Senha:
 
 

Paixão Côrtes:
Gaúcho Velho

 

02/07/2008 14:35:12
UM CERTO LOUCO
............................................................................
Na estampa um pobre louco,
Na alma um guitarreiro.
Como abrigo a mão alheia,
Por querência o pago inteiro.
 
Como o guitarreiro louco
No pampa era conhecido.
Prá cantar tinha a voz rouca,
Prá tocar, notas de ouvido.
 
E a guitarra, companheira,
Sempre quis saber a fundo
Porque naqueles braços
Andejava pelo mundo.
 
Muitos risos debochados
Ouviam-se em pulperias
Quando o louco guitarreando
Cantava sua porfia:
 
 “Se os home não dão bola
Para o Rio Grande que fiz,
Boto cerca nas divisas
E faço um novo País."
 
E a guitarra, companheira,
Sempre quis saber a fundo
Porque o louco insistia
Mexer em parte do mundo.
 
É o tempo quem confirma
Quando a profecia é certa.
Quem sabe a louca carcaça
Não tinha alma de profeta?
 
Hoje os risos debochados
Não se ouvem em pulperias
Quando um consciente, cantando,
Repete a louca porfia.
 
E a guitarra, companheira,
Hoje quer saber a fundo
Porque chamavam de louco
Quem da razão fez seu mundo!
............................................................................
  Autor: Moacir D'Avila Severo
Poesia enviada Por: Stéffani Karoline Müller - Mineiros / GO
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
28/11/2008 16:55:34 Moacir D'Ávila Severo - Alegrete / RS - Brasil
É muito gratificante ver frutos da minha inspiração cruzando as fronteiras do nosso país. Agradeço a importância dada por vocês a estas obras. Um abração do tamanho do Rio Grande!!!
Sítio: *****
17/10/2008 05:44:57 murilo crisostomo - alto araguaia / MT - Brasil
Gostei da poesia, porque pra mim ela ainda me faz lembrar, ou ver, às vezes, que há alguém que não desiste dos seus sonhos, mesmo que o tentem fazer desistir os que ficam sentados achando que a a vida que lhes é dada é só pra ser vivida e não melhorada...
Sítio: *****
Untitled Document