Usuário:
 
  Senha:
 
 

Manoel Camaquã:
Hino Tradicionalista, de Barbosa Lessa

 

14/05/2009 10:43:13
BRUXINHA DE PANO
............................................................................

 

Minha bruxinha de pano,

onde andarás nesta  hora;

não sei se te joguei fora

ou te esqueci em algum canto.

Mas contigo eu brinquei tanto;

ficou do sonho a saudade,

guardada com ansiedade,

sufocada pelo pranto! 

 

Naquele mundo inocente,

minha boneca singela,

eras a coisa mais  bela;

tão feliz eu te embalava,

uma canção eu cantava,

brincando de te ninar;

fico agora a recordar

onde contigo eu brincava.

 

Tu, minha doce bruxinha,

que enfeitou minha infância,

os meus tempos de criança,

nos brinquedos de casinha;

com a minha bonequinha

eu montava o meu castelo,

pedacinho mais singelo

no sonho da garotinha!

 

Na incoerência da vida

o tempo passa voando,

e com ele carregando

pedaços da vida minha;

dos  lindos sonhos que eu tinha,

ficou tudo na distância,

foi embora a minha infância,

levando a minha bruxinha.

 

Eu quisera, novamente,

te embalar em meus braços,

poder juntar os pedaços

que o tempo vai separando;

no faz de conta, brincando,

só me deixou a saudade,

que aquece a realidade;

e a vida vai nos mudando. 

 

Na vida simples do campo,

onde a boneca de pano

é o brinquedo soberano

nos braços de uma menina,

descalça, sobre a colina,

corre sonhando acordada,

carregando entusiasmada

sua bruxinha querida!

 

Ainda sonho contigo,

com teus olhinhos pintados

e teu vestidinho enfeitado,

que fiz com tanto desvelo;

era de lã teu cabelo,

mas eu te achava bonita,

eras a minha bonequita,

da infância o meu sinuelo!

 

Perco-me em divagações,

sorvendo a doce lembrança

dos meus tempos de criança,

da minha amiga preferida;

tu não serás esquecida,

apesar dos desenganos,

minha bruxinha de pano,

pedaço da minha vida!

............................................................................
  Autor: Jurema Chaves
Poesia enviada Por: Jurema Chaves - São Leopoldo / RS
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
04/08/2014 23:20:49 Danieli Tierling - Santa Rosa / RS - Brasil
Conquistei a minha primeira faixa e com muito orgulho hoje sou a 1ª Prenda Dente de Leite do CTG Chama Crioula. E no ano que vem irei declamar Bruxinha de Pano, no Concurso Regional de Prendas e Peões.
Sítio: *****
01/09/2013 16:05:43 jenifer ribeiro - sta rosa / RS - Brasil
Adorei * Eu sou a 2a Prenda Mirim e vou declamar essa linda poesia.
Sítio: http://jenifer@ribeiro @loka
12/06/2013 10:44:10 Jussara - Tapera / RS - Brasil
Essa poesia é + ou - legal!!!!!
Sítio: **
02/05/2013 18:55:04 keellly - tapera / Brasil
Que feia! Não gostei!!!!
Sítio: *****
02/05/2013 18:52:32 rozita - tapera / RS - Brasil
Muito linda! Irei declamá-la em Osorio.
Sítio: *****
24/12/2012 11:07:27 nicole - catanduvas / SC - Brasil
Já decorei tudo. Muito bonita essa poesia!
Sítio: *****
06/07/2010 20:03:10 danielli lopes brilhante - santa maria / RS - Brasil
A poesia é muito linda! Eu vou declamá-la em São Martinho da Serra!!!Parabens!!!
Sítio: http://orkut.com.br
06/12/2009 13:33:32 suellen fortes de lima santos - dois irmaos das missoes / RS - Brasil
Esta poesia eu declamo em minha escola, faz um tempão; e amo-a muito. Eu sou uma menina de 11 anos e gosto, ou gostva muito, de bricar de boneca de pano. Então, eu acho-me parecida com essa poesia; por isso amo-a muito!
Sítio: *****
21/10/2009 19:26:31 eduarda - pelotas / RS - Brasil
Amo essa poesia. Sempre que a declamo lembro de minha bruxinha, que eu tenho. E ela também é a minha melhor amiga; durmo sempre com ela.
Sítio: *****
18/07/2009 20:11:23 Natalia Dal Pizzol - Farroupilha / RS - Brasil
Eu também tenho uma bruxinha de pano... q fui eu q fiz; ela é a minha melhor amiga!
Sítio: *****
15/05/2009 21:20:52 Deroci Freitas de Moraes - Santa Maria / RS - Brasil
Quem acompanhou as manas e, até na falta de outras prendinhas, brincava com elas, vê a sensibilidade e autenticidade transmitidas nesta bela poesia. Realmente, as bruxinhas de pano enfeitavam os castelos das gurias. (Fui tio e padrinho de muitas bruxinhas) Parabéns!
Sítio: *****
Untitled Document