Usuário:
 
  Senha:
 
 

Manoel Camaquã:
Hino Tradicionalista, de Barbosa Lessa

 

11/08/2009 11:37:38
JOÃO DE BARRO
............................................................................

 

 

Mês de dezembro;

todos os passarinhos em festa,

só o pedreiro da floresta

não parou de trabalhar.

 

As andorinhas

anunciavam o grande dia

em que Jesus nascia,

vindo pra nos salvar.

 

Nobre pedreiro,

aquele humilde construtor,

bateu asas em louvor

e repicou o seu cantar.

 

O João de Barro,

passarinho inteligente,

trabalhando feito gente

lá na copa da paineira.

 

Num galho verde,

protegido na ramada,

junto de sua amada

não parava de cantar.

 

Na construção

de sua moradia

trabalhava todo o dia,

sem parar pra descansar.

 

Cada viagem

que o coitado fazia,

no seu bico ele trazia

o barro pra rebocar.

 

Pobre João,

de bolica em bolica,

mais de mil idas na bica

pra seu ninho terminar.

 

Sua companheira

ficava lhe ajudando,

com capricho alisando

as paredes do seu lar.

 

Preocupada,

quando avistava o João,

subindo lá no grotão,

começava a festejar.

 

Somente a Deus

é que devo agradecer,

por ter me deixado ver

e estes versos registrar!

............................................................................
  Autor: Antônio Francisco de Paula
Poesia enviada Por: Antônio Francisco de Paula - Brasília / DF
  Observações: Poesia do Livro Meu Avô, Meu Mestre: Poesias Gauchescas, do autor. Obs.: poesia publicada em 30.06.2009 e republicada aos 11.08.2009.

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
21/08/2009 21:14:50 cidinei mello - porto alegre / RS - Brasil
bonita poesia parceiro antonio, abraço do tamanho do rio grande
Sítio: *****
Untitled Document