Usuário:
 
  Senha:
 
 

Grupo Minuano:
Vamo rapaziada

 

14/03/2010 11:48:07
POETA DE ALMA INTEIRA
............................................................................

 

 

Jurema chaves

  

Se o amor é dor,
que dói sem machucar,
a poesia é um vício
que emociona e seduz;
enchendo a alma de luz,
traçando traços – pedaços -
... alando sonhos ao léu,
beijando as franjas do céu
e as estrelas na amplidão,
para, num porto-solidão,
ancorar o seu diário,
repintando seu cenário
sobre a branca celulose,
numa estranha simbiose;
longe do bem e do mal,
apaga o mundo real,
pra pintar o imaginário.

Se o poeta representa...
é o verso que o sustenta,
embalando seu sonhar;
canta e ri, a soluçar,
o versejar que consola;
restos de amor são esmolas,
que mendigam nos caminhos,
juntando rimas, carinhos,
que a aurora recolheu,
um nome não pronunciado,
misto de céu e pecado,
que se escondeu nas entrelinhas;
entre o presente e passado,
seca o pranto disfarçado,
chorando a morte de um amor,
que não morreu!

Ser poeta é alar o coração
na mais sensata loucura;
são algemas de ternura,
que aprisiona e liberta;
quando a dor o desconcerta,
mergulha num mundo à parte;
sem se partir se reparte
no dom divino da arte,
num coração que já nasceu
... poeta! 

O versejar é lenitivo,
cicatriza os desencantos;
mesclando risos e prantos,
vai confundindo as lembranças,
que vão ficando de herança
em cada curva da estrada,
como uma flor machucada,
querendo rasgar segredos,
restaura restos de calma;
até parece que a alma
vai fugir por entre os dedos...

Se versejando se busca,
se encontra pra se perder,
pois entre o ser e o ter
o poeta só entende o ser;
... porque tudo tem
sem nada possuir;
vai embora, sem jamais partir,
...vestindo de silêncios seus poemas...

É alma, essência, a diferença;
é castigo, recompensa;
é força fragilizada,
é lágrima purificada,
marcando sulcos na face,
sem retoque, sem disfarce,
como se o tempo parasse...
porque a cada verso que escreve
... o poeta renasce!

............................................................................
  Autor: Jurema Chaves
Poesia enviada Por: Jurema Chaves - São Leopoldo / RS
  Observações:

São Leopoldo, RS, janeiro de 2006.


 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document