Usuário:
 
  Senha:
 
 

Miguel Marques:
No Agosto da Alma

 

19/08/2009 11:30:06
SAUDADE
............................................................................

 

 

A SAUDADE VAI NA MALA,

QUANDO DEIXAMOS O PAGO;

AMENIZA COM UM AMARGO,

PORÉM NÃO TERMINA AINDA;

E SOMENTE ELA FINDA

NO REENCONTRO CO’A CHINA,

COMO A SEDE QUE TERMINA,

QUANDO ENCONTRAMOS A CACIMBA.

 

A SEDE VOLTA DE NOVO,

MESMO SE ESTAMOS POR CASA,

A SAUDADE NÃO TEM ASAS,

PARA ANDEJAR SOLITA,

FICANDO ESCONDIDITA,

NEGACEANDO UM MOTIVO

PRA BOTAR O PÉ NO ESTRIBO,

QUANDO UM AMOR NOS PALPITA.

 

ÀS VEZES, NOS TIRA O SONO,

POR OUTRAS NOS TIRA A FOME,

E POR MAIS RUDE UM HOMEM,

VALENTE E PELEADOR,

SE EMBRETA NUM CORREDOR,

QUANDO VIVE À DISTÂNCIA,

ALAMBRADO PELA ÂNSIA,

PELA SAUDADE E O AMOR! 

............................................................................
  Autor: Deroci Freitas de Moraes
Poesia enviada Por: Deroci Freitas de Moraes - Santa Maria / RS
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
29/10/2009 00:48:12 Clelia - Tangará da Serra / MT - Brasil
Linda amigo..... td bem com vc!! Linda noite.. passei p uma visitinha!!! rssssss
Sítio: *****
01/09/2009 19:16:43 Regina - Itapema / SC - Brasil
Linda!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Sítio: *****
Untitled Document