Usuário:
 
  Senha:
 
 

Baitaca:
A evolução me entristece, de Baitaca

 

08/11/2009 23:23:41
QUANDO AS FLORES DESABROCHAM
............................................................................

 

 

Quando as flores desabrocham pelos campos,
sopram auras de amor pelas janela...
as manhãs nascem vestidas de dourado
e o poente pintado em aquarelas...
as campinas abrem olhos de horizontes,
vestem mantos singulares de esperanças;
os invernos adormecem nas lembranças,
para que as águas sejam vidas, pelas fontes.
 
Palcos nativos que se erguem ao relento,
quando as consciências agonizam nos desertos,
e a natureza que se veste, assim, de flores...
para tantos cegos, de olhos tão abertos.
 
As abelhas, em revoadas agitadas,
buscam o néctar para os favos das colméias...
o canário cantador canta nas matas,
sem buscar o aplauso das platéias...
os olhares, sem querer, ficam mais ternos,
quando as flores desabrocham pelos campos;
ainda bem que o panorama se faz canto
para aquecer, quando da volta dos invernos!
............................................................................
  Autor: Salvador Ferrando Lamberty
Poesia enviada Por: Vitória Nascimento - Caxias do Sul / RS
  Observações:

A poesia é mais indicada para a declamação de prendas, em geral.


 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document