Usuário:
 
  Senha:
 
 

Jayme Caetano Braun:
Sangue Farrapo

 

24/03/2010 10:15:48
BAIA COLEIRA
............................................................................

 

 

TIVE UM MAU PRESSENTIMENTO,

QUANDO CHEGUEI NA PORTEIRA.

NÃO VI MINHA BAIA COLEIRA

DEITADA, ME ESPERANDO;

CERREI PERNA, E GALOPANDO,

NAS CASAS APEEI

E DEVEREDA AVISTEI

A CADELA AGONIZANDO.

 

QUANDO CHAMEI POR SEU NOME

ABANOU A COLA PRA MIM,

SENTI QUE CHEGAVA AO FIM

A VIDA DA MINHA CADELA;

TENTEI CONVERSAR COM ELA,

MAS A VOZ NÃO ME SAIU,

E GARANTO QUE ELA SENTIU

QUE EU TAVA COM NÓ NA GOELA.

 

PASSEI-LHE A MÃO PELO CORPO,

EXAMINANDO A FERIDA,

TEVE A PATA MORDIDA

POR UMA COBRA VENENOSA;

POBRE CADELA AMOROSA,

QUE JÁ TINHA ME LIVRADO,

QUANDO BORQUIEI O ARADO

DE UMA CRUZEIRA ASSOMBROSA.

 

MEUS OLHOS SE ENCHERAM D’ÁGUA

AO VER A CADELA MORRENDO;

ÀS VEZES, EU NÃO COMPREENDO

ESTES DESLIZES DA SORTE;

O HOMEM JÁ NÃO FOI FORTE,

MESMO LÁ NO PARAÍSO,

QUANDO ADÃO PERDEU O JUÍZO

DEIXANDO-NOS DE HERANÇA A MORTE.

 

ABRI UMA COVA FUNDA

NA TAPERA DA COXILHA,

JUNTO AO PÉ DE CORONILHA,

PRA SEPULTAR A CADELA;

DEI UM ADEUS PARA ELA,

NUMA HOMENAGEM SINCERA,

POIS SEI QUE LÁ NA TAPERA

VAI FICAR DE SENTINELA.

 

VOLTEI PRAS CASAS TRISTONHO,

COM A GARGANTA APERTADA;

FUI LOGO VER A NINHADA,

QUE GRUNHIA NUMA CAIXA.

SOLUÇÃO SEMPRE SE ACHA

NA LIDA DO CAMPEIRISMO,

REZA O NOSSO CATECISMO

PARA QUE SE CRIE GUAXA.

 

LEVEI TODOS PARA DENTRO,

OUVINDO MEU CORAÇÃO,

E DEBAIXO DO FOGÃO

AJEITEI UM LUGARZINHO.

SEI QUE TERÃO O CARINHO

DE TODO O PESSOAL DA CASA;

BATIZARAM UMA DE BRASA,

FALTAM DUAS E O CACHORRINHO.

 

OS DIAS VÃO SE PASSANDO

E VAI CRESCENDO A NINHADA,

A CAIXA JÁ ESTÁ APERTADA

E NÃO PARAM DENTRO DELA;

O CUSQUINHO É O SENTINELA,

E RUSNA BOTANDO BANCA,

E A QUE TEM COLEIRA BRANCA,

É CERTO, FICO COM ELA.

 

É IGUALZINHA À MÃE,

TEM O RABINHO ENROSCADO,

UMA MANCHINHA NO LADO,

HERANÇA DA MINHA COLEIRA;

MUITO MIMOSA E FESTEIRA,

GOSTO DE BRINCAR COM ELA,

POIS SERÁ OUTRA CADELA

A ME ESPERAR NA PORTEIRA!

............................................................................
  Autor: Deroci Freitas de Moraes
Poesia enviada Por: Deroci Freitas de Moraes - Santa Maria / RS
  Observações:

Visites o Blog Lá Fora - http://lafora.com -, do autor.


 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document