Usuário:
 
  Senha:
 
 

Grupo Fogo de Chão:
Gaúcho

 

05/05/2010 15:06:07
LIBERDADES QUE VOAM
............................................................................

 

 

Sestroso nasceu o dia, rumores de movimentos; querer tirar liberdades, potro criado igual vento. Mangueira toda encilhada, se boleou corcel, bem perto; perder na fúria um guapo, só crinas em céu aberto. Não há moirões que escapem, riscando patas no espaço; gaudério voando em lombos, seguro de seus guascaços. Animal xucro a contento, vivendo junto a baguais; pradarias, campos livres, vigília de ancestrais. Liberdade nesta vida; tentarão queixo-quebrado; lutar no cabo da adaga e se morrer lado-a-lado!
............................................................................
  Autor: Pio Medeiros
Poesia enviada Por: Pio Medeiros - Santo Ângelo / RS
  Observações:
Poesia Missioneira

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document