Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Muuripás:
Anu, Chimarrita, Balaio, Dança dos Facões e Chula

 

11/07/2010 23:36:11
SANGUE NOVO
............................................................................

 

 

Sou piá e não renego minha raça e procedência; sou filho de uma querência, que é obra do criador; sou pequeno e de valor, sou gaúcho cem por cento; tamanho não é documento, sou gaúcho, sim senhor! Esta figura de miúdo traz esperança e coragem, estampando na imagem o futuro do meu pago; plantarei todas, que trago nas verdejantes coxilhas, as sementes farroupilhas, que brotarão a lo largo. Tenho aprendido muito e muito tenho a aprender; nunca é demais o saber, para uma mente sadia; não faz bem a rebeldia, nem pra piá nem pra marmanjo; na obediência me arranjo, sou guri de boa cria! Mesmo sendo um piá já tenho meus ideais de enaltecer, mais e mais, minha gente e meu povo; meus ancestrais sempre louvo; e ainda serei legenda, qual um herói das contendas na seiva de um sangue novo!
............................................................................
  Autor: Deroci Freitas de Moraes
Poesia enviada Por: Deroci Freitas de Moraes - Santa Maria / RS
  Observações:
Poesia a ser declamada por piás. O autor.

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
13/07/2010 13:05:01 Deroci Freitas de Moraes - Santa Maria / RS - Brasil
Visitem meu blog. Desde já agradeço.
Sítio: http://lafora.arteblog.com/
Untitled Document