Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Farrapos:
Passo do Bugio

 

21/07/2010 01:22:38
SOBRE O LOMBO DO CAVALO
............................................................................

 

 

Sobre o lombo do cavalo,
fui um taura do Rio Grande;
lida braba, de pealos e manotaços,
por mais macanuda que fosse
dominei na força do braço.

Foi num rodeio,
lá na Fazenda dos Capões,
onde um cavalo infame
fez eu perder a minha estampa,
aquela de honrar a pampa,
de montar em redomões.

Mas, como nunca afroxei o garrão,
segui em frente,
montando em todos: bragados,
alazão e colorados,
retomando a moldura de ginete,
que cresceu dando porrete
no lombo dos aporreados.

E foi no último dia de rodeio,
onde o pensamento
estava amaldiçoado
com um feitiço abagualado,
que botava medo nos campeiros;
até eu, que estava acostumado,
fiquei arrepiado
pensando como ia parar
no corcoveio dos alçados.

Estava chegando a hora,
a que todos estavam esperando,
a de carcar as esporas
e baixar-lhes o mango.
Ao montar, lembrei
do lendário Tio Capincho:
ginete muy guapo,
que sempre ensinou seus legados;
em rodeios ou lidas de gado,
a história marcada em seu pago.

Abrindo cancha pro Rio Grande,
esporiei  o rosilho com bravura.
E naquele compasso seguimos;
fui firmando o garrão,
onde jamais conseguiram se firmar.
Talvez, muitas outras gineteadas
vão lhes contar.
Mas como foi esta
jamais irão mencionar,
pois foi num tombo de um rodeio
que aprendi a não fraquejar!

............................................................................
  Autor: P. Lamachia
Poesia enviada Por: P. Lamachia - Porto Alegre / RS
  Observações:

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
26/08/2011 17:27:58 Lucas Farias - charqueadas / RS - Brasil
Esse é galo.... Baaaita poesia!
Sítio: *****
Untitled Document