Usuário:
 
  Senha:
 
 

Os Bertussi:
Balanço do Bugio

 

02/10/2010 22:36:26
TÁ BEM ASSIM...
............................................................................

 

 

Meus pilas já estão curtos, que nem passada de anão;
meu limite do cartão faz tempo está estourado;
estou roubado, não tenho nem pra pensão;
meu fusca de estimação, no fórum está penhorado;
vivo apertado, já gastei toda a poupança,
ando como rato em guampa, mas tem quem ache bem bom;
bom só para aqueles que estão na mordomia,
porque o povo só anda na contramão.

Também, quem manda nós votarmos nessa gente:
classe sem escrúpulo, que só pensa em promoção.
Inda bem que o presidente não vê essas falcatruas,
pois anda acima das nuvens com aquele baita avião!

O leão mete a malha fina no ploretário inocente;
mas que falta de vergonha dos que se dizem decentes!
Eu nunca, na minha vida, ouvi falar tanto em bilhão,
até enfiado nas cuecas e dum tal de mensalão,
Valério-duto, tudo debaixo dos panos;
máfia das ambulâncias, bem nas barbas do leão;
dinheiro enfiado nas meias de um certo deputado;
e o “FISCO” me cobrando meu papel de cidadão!

Também, quem manda nós votarmos nessa gente:
classe sem escrúpulo, que só pensa em promoção;
Inda bem que o presidente não vê essas falcatruas,
pois anda acima das nuvens com aquele baita avião!

E esses juros estão na hora da morte.
Tu vives, mas só com sorte; pois tá sempre endividado.
Tudo é cobrado, desde que nasce e aí vai;
me vou lá pro Uruguai, pra viver mais sossegado.
Lá não tem leão cobrando imposto de renda.
Vou pegar os filhos e a prenda e me ir pro outro lado.
É uma vergonha! Nós, com um País tão rico,
ter que viver de promessas de ladrões engravatados!

Também, quem manda nós votarmos nessa gente:
classe sem escrúpulo, que só pensa em promoção;
Inda bem que o presidente não vê essas falcatruas,
pois anda acima das nuvens com aquele baita avião!

............................................................................
  Autor: Ayrthon Nenê Caetano
Poesia enviada Por: Ayrthon Nenê Caetano - São Borja / RS
  Observações:
A letra, composta aos 7.5.2006, 21:50:20h, foi musicada pelo seu autor poeta gaúcho
no ritmo de contrapasso.

 
Nome:
Cidade:
Estado:
País:
E-mail:
(O E-mail não é Publicado no Comentário)
Sítio:
Comentário:
   
 
Untitled Document